Deputados vão pedir fim de contrato de R$ 563 mil para lavar carros

Deputados vão acionar a Mesa Diretora da Câmara para rever o contrato da Casa que destina mais de meio milhão de reais por ano para lavar 83 carros oficiais. A informação foi revelada na Coluna do Estadão. O líder do PSol na Câmara, Chico Alencar (RJ), e o deputado federal Marco Feliciano (Podemos) consideraram “absurdas” as despesas.

“Na atual conjuntura econômica de nosso País, todos os gastos oficiais devem ser contidos. A lavagem de um carro oficial pode ser feita onde se abastece, pelo sistema ducha grátis, sem ônus para o erário, R$ 563 mil por ano é considerado um absurdo. Vou pedir à Mesa Diretora para que reveja os critérios dessas despesas”, avisou Feliciano.

Já Chico Alencar criticou a “ilha da maravilha” da Câmara em gastar meio milhão com serviços de lava jato e disse que vai “propor limites” à Casa. A frota de 83 carros atende 19 dos 513 deputados que têm direito cargos de direção e de outros departamentos. Até julho, o contrato com a Adjel Serviços era maior, de R$ 602 mil, mas um aditivo baixou o valor para R$ 563 mil.

A firma mantém 11 funcionários, que se dedicam à tarefa. O negócio entre a Câmara e a empresa foi assinado em 2016, por um ano. Desde então, aditivos prorrogaram a vigência até 2019. O valor do contrato baixou em julho porque a empresa dispensou um lavador de carro. Em média, um Lava Jato cobra R$ 30 por carro, em Brasília.

PR, PRB e PP guardaram R$ 88 milhões de caixa extra eleitoral

Convenção que oficializou candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB)

Cortejados por vários presidenciáveis antes de fecharem com Geraldo Alckmin (PSDB), os partidos do centrão, bloco considerado a “noiva da eleição”, foram os que mais fizeram caixa no ano passado com recursos oriundos do fundo partidário, que é distribuído para a manutenção das siglas.

Esse dinheiro poderá ser usado na eleição, junto com a fatia que cada partido receberá do novo fundo eleitoral, o “fundão” de R$ 1,7 bilhão criado exclusivamente para financiar campanhas após a proibição de doações por empresas.

O PR, com R$ 42,5 milhões em caixa, foi o partido que mais guardou recursos em 2017. Em seguida vem o PRB, com R$ 24,9 milhões, e, em terceiro lugar, o PP, com R$ 20,1 milhões. Somadas as economias dos três, o dote da noiva chega a R$ 88 milhões. Folha de São Paulo

PT desiste de fazer ato em frente ao STF na quarta (15)

Resultado de imagem para pt suja de tinta stf
Cerca de 30 pessoas chegaram na tarde de terça-feira (23 de julho) com cartazes e aos gritos de ‘Lula Livre’, sujaram tudo e foram embora

Na esperança de que o STF ainda dê uma decisão favorável a Lula e o tire da prisão, o PT desistiu de fazer ato em frente à corte na quarta (15), quando levará a militância a marchar para registrar a candidatura do petista no Tribunal Superior Eleitoral.

Desvio de rota Pelo cronograma inicial, os militantes caminhariam pela Esplanada dos Ministérios e parariam no Supremo para um ato. Agora, a marcha seguirá direto para o prédio do TSE. Não querem provocar o STF. As informações são do Painel – Folha de São Paulo

Lula diz que é hora de colocar Haddad e Manuela na rua

Ao sair da PF nesta sexta (10) anunciando que o PT vai, a partir de agora, usar todos os instrumentos para colocar Fernando Haddad em debates e sabatinas no lugar de Lula, Gleisi Hoffmann verbalizou determinação passada pelo próprio ex-presidente ao longo de quase quatro horas de conversa.

O petista atuou para conter ala que, para preservá-lo, queria esconder Haddad. Pragmático, disse que é hora de levar o bloco da campanha, com o ex-prefeito de SP e Manuela d’Ávila, às ruas.

Teleguiado A manutenção da unidade dentro do PT se tornou um desafio constante desde a prisão de Lula, em abril. O ex-presidente tem atuado de dentro da carceragem para dirimir as principais divergências da sigla. A posição de Haddad como vice provisório na chapa do petista é uma dessas questões. Painel – Folha de São Paulo

Garibaldi avalizou ida de George e Gustavo Soares para Fátima em troca de apoio para ele e o filho

Garibaldi apoiou ida do deputado e do prefeito do PR em Assu para Fátima em troca de apoio para sua reeleição e do seu filho, Walter Alves

O senador e candidato a reeleição pelo MDB Garibaldi Alves Filho, tem demonstrado um apetite voraz por sua reeleição e a do seu filho, deputado federal Walter Alves, sem respeito quase nenhum aos deputados do partido e candidatos a deputado da legenda e de outros que integram a coligação do candidato a governador Carlos Eduardo Alves, do PDT.

Em Assú, o senador Garibaldi Alves negociou e aceitou tranquilamente o deputado estadual George Soares e o seu irmão, o prefeito Gustavo Soares, apoiarem a candidata do PT Fátima Bezerra, ao invés de apoiar o ex-prefeito e candidato Carlos Eduardo. Em troca, ganhou o apoio do deputado do PR e do irmão, o prefeito do Assú.

O senador do MDB também liberou o partido em Assú para apoiar a reeleição do deputado estadual do PR George Soares, fechando assim, a porteira de um acordo que prejudica e penaliza na cidade, os deputados Nélter Queiroz e Hermano Morais.

Por outro lado, o deputado George Soares e o prefeito do Assú, Gustavo Soares, estão querendo obrigar os aliados do MDB e simpatizantes a não apoiar a candidatura a senador de Antônio Jácome, que integra a chapa majoritária da coligação encabeçada por Carlos Eduardo.

Deputado do PR em Assú ‘espatifa’ grupo político no apoio a Fátima e Carlos Eduardo

Presidente do diretório do MDB e a sua esposa, não acompanha o deputado George Soares a Fátima Bezerra, ficam com Carlos Eduardo

O apoio do vice-presidente do PR e deputado estadual George Soares a candidata a governadora Fátima Bezerra, do PT, acabou espatifando o seu grupo político em Assú, mas tem gente suspeitando de uma manobra política para deixa-lo com um pé dentro do governo se Carlos Eduardo for eleito.

O presidente do diretório do MDB em Assú Helder Alves e a sua esposa, a vice-prefeita Sandra Alves, aliados do deputado George Soares, não querem ver Fátima Bezerra nem pintada de ouro. O casal apoia o candidato do PDT Carlos Eduardo Alves e para federal fica com Walter Alves.

O deputado George Soares e o irmão, prefeito Gustavo Soares apoiam o candidato a deputado federal João Maia. O clã dos Soares só conseguiu unidade com o MDB no apoio a reeleição do senador Garibaldi Alves Filho.

Os emedebistas de Assu apoiam Antônio Jácome, do Podemos para o Senado e se recusam a ficar com Zenaide Maia, do PHS, a companheira da Fátima na chapa.

Terezinha Maia e Jorge do Rosário deixam George Soares para trás

Terezinha é apontada como a mais votada do PR para deputado estadual com Jorge do Rosário na sua cola

A candidatura de Terezinha Maia (PR), primeira dama de São Gonçalo do Amarante, para deputada estadual, ganha musculatura com o apoio da ex-prefeita Marília Dias (MDB), de Macaíba, deixando o deputado George Soares, numa situação cada vez mais complicada para renovar seu mandato.

Mais apoio – no início da semana, o prefeito Paulo Emídio (PR) conquistou mais um importante apoio para Terezinha, em São Gonçalo. Trata-se do vereador oposicionista, Édson Arcanjo, o Nino, conhecido pela sua força eleitoral na zona Rural.

Terezinha é apontada como a mais votada do PR, seguida de perto por Jorge do Rosário, deixando George Soares para trás.

Comenta-se que o candidato a deputado estadual Jorge do Rosário, anda comendo papa pelas beiradas nas bases do deputado estadual George Soares. Ele já tem o apoio de Sérgio Rocha em Assu e teria conquistado dois vereadores ligados a George Soares para apoiá-lo em Itajá.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: