Chefe do GSI diz que Bolsonaro sofreu novas ameaças

Resultado de imagem para Chefe do GSI diz que Bolsonaro sofreu novas ameaças

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen, disse nesta segunda-feira, 3, que o presidente eleito, Jair Bolsonaro, sofreu novas ameaças há 15 dias. Contudo, ele não citou a origem das ameaças. 

“Eu posso te falar até 15 dias atrás. Houve, houve novas ameaças (contra o presidente eleito)”, afirmou Etchegoyen após a cerimônia no Palácio do Planalto que celebrou os 80 Anos do Gabinete de Segurança Institucional. 

De acordo com o ministro, ainda não há a definição se o presidente eleito irá ou não desfilar em carro aberto no dia da posse. Etchegoyen afirmou que as condições ainda estão sendo analisadas com a equipe de transição.

“A decisão será do presidente. Eu presidiria tudo com cautela. Nesse momento, eu tenho que me atualizar, porque passei fora duas semanas, mas eu recomendaria que todas as medidas tomadas fossem presididas por cautela”, disse.

Desde o ataque a Bolsonaro em setembro, a equipe de inteligência do governo monitora intensamente as ameaças ao presidente eleito. Durante a campanha, o futuro ministro do GSI, general Augusto Heleno, afirmou que havia ameças concretas de novos ataques contra Bolsonaro. 

Leia maisChefe do GSI diz que Bolsonaro sofreu novas ameaças

Rogério Marinho deve assumir área no ministério de Guedes

Relator da reforma trabalhista, Rogério Marinho
Relator da reforma trabalhista, Rogério Marinho – Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Com a extinção e partilha do Ministério do Trabalho, anunciada nesta segunda (3), o relator da reforma trabalhista, o deputado federal Rogério Marinho (PSDB-RN), é cotado para ocupar o cargo de secretário adjunto na Secretaria de Trabalho e Previdência. A secretaria ficará dentro do superministério da Economia, que está sendo criado na gestão do presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Marinho é o preferido pelo futuro titular da pasta, o economista Paulo Guedes. Pelo organograma em estudo, Trabalho e Previdência ficam dentro da Secretaria da Receita, que será comandada por Marcos Cintra.

O relatório de Marinho, aprovado pelos deputados em abril do ano passado, alterou cerca de cem pontos da CLT [Consolidação das Leis do Trabalho], atendendo a pleitos históricos do empresariado. A nova lei criou, por exemplo, a figura do trabalhador intermitente –sem garantia de jornada fixa– e reforçou a terceirização da atividade-fim das empresas.

Personagem importante do governo Temer, Marinho recebeu recursos de vários empresários (arrecadou  R$ 1,6 milhão) durante a campanha eleitoral deste ano, mas não conseguiu se reeleger. Alexa Salomão – Folha de São Paulo

Leia maisRogério Marinho deve assumir área no ministério de Guedes

Paulo Guedes cancela viagem a Europa por motivo de saúde

O futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, cancelou uma série de encontros que teria no exterior por motivos médicos. Guedes acordou com febre alta, por causa de uma infecção nas vias respiratórias. Por recomendação médica, não poderá fazer viagens durante toda a semana, informou a assessoria de imprensa da equipe de transição.

Paulo Guedes participaria do evento “Grandes desafios da América Ibérica”, organizado em Madri pela Fundación Internacional para la Libertad, presidida pelo escritor Mário Vargas Llosa. Guedes participaria, ao lado de Sérgio Moro, indicado para ministro da Justiça, do painel intitulado “Brasil, principais alinhados do novo governo”, mediado por Vargas Llosa.

Além do evento, Guedes cancelou ainda uma série de encontros previstos para esta semana na Europa, em que apresentaria a agenda econômica do futuro governo a investidores e mídia. Marcello Corrêa – O Globo

MPF quer que Palocci pague US$ 20 milhões para não ser preso novamente

Antonio Palocci foi preso na 35ª fase da Operação Lava Jato, intitulada Operação Omertà Foto: Geraldo Bubniak / Agência O Globo

Quatro dias depois de deixar a prisão, o ex-ministroAntonio Palocci foi surpreendido por um pedido feito pela força-tarefa da Lava-Jato à Justiça Federal de Curitiba. Os promotores querem que ele pague multa de U$ 20 milhões — o equivalente a cerca de R$ 76,5 milhões — para permanecer em prisão domiciliar.

A quantia é superior aos R$ 34 milhões com os quais o ministro havia se comprometido a devolver inicialmente. Por ordem judicial, Palocci usa tornozeleira eletrônica e permanece em casa durante a noite e em fins de semana.

Segundo os procuradores, o juiz Danilo Pereira Júnior teria tomado uma decisão equivocada porque, dizem, levou em consideração uma cláusula do acordo de delação premiada que previa limite para a indenização. Nesse caso, o valor da multa seria estipulado levando em conta apenas o montante bloqueado pela Justiça.

A força-tarefa alega que esta cláusula não foi homologada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). O MPF pede que o juiz corrija o que foi determinado. Na ocasião em que recebeu a sentença, o então juiz Sergio Moro decretou pagamento de R$ 37 milhões em multa.

O pedido feito pela força-tarefa diz que o ex-ministro deve voltar para cadeia se não pagar os US$ 20 milhões.  Na audiência ao juiz, na última quinta-feira, Palocci considerou a possibilidade de voltar a trabalhar. O Globo

MPRN e MPF acionam Justiça para Governo do RN aplicar R$ 243 milhões em saúde

Ação movida contra o Estado e é direcionada ao governador e ao secretário de Finanças. Montante é o que o falta para o RN aplicar os 12% mínimos em saúde previstos na Constituição

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e o Ministério Público Federal (MPF) ajuizaram uma Ação Civil Púbica (ACP) para obrigar o Governo do RN a aplicar urgentemente mais R$ 243.340.800,69 para custeio da Secretaria de Saúde até o fim deste ano. O montante é o que falta para o Estado atingir os 12% mínimos do orçamento que devem ser destinados à saúde pública, conforme estabelece a Constituição Federal.

A ação é direcionada ao governador do RN, Robinson Faria, e ao secretário estadual de Planejamento e Finanças, Gustavo Nogueira. Caso descumpram a aplicação legal em saúde, o MPRN e o MPF pedem que eles sejam multados em R$ 1 mil por dia.

A Lei Orçamentária do RN projetou receitas da ordem de 8,5 bilhões, como base de cálculo de receitas para o cômputo do piso constitucional. Desse valor, os 12% que o Estado deve aplicar em saúde pública correspondem a R$ 1.022.112.120,00. Clique aqui e veja a íntegra da Ação Civil Pública

Leia maisMPRN e MPF acionam Justiça para Governo do RN aplicar R$ 243 milhões em saúde

Assu sem água durante dois dias

Resultado de imagem para caern assu

O sistema de abastecimento de água de Assu terá uma parada no funcionamento nos dias 5 e 6 deste mês para que seja realizado serviço na Estação de Bombeamento Jerônimo Rosado (EB1), segundo a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern). 

A Caern informou que a estação está passando por uma reforma e, nos dois dias, equipes estarão trabalhando na substituição da chave de acionamento dos motores.

A suspensão no abastecimento vai atingir toda a cidade de Assu. Logo que o serviço for concluído, com previsão do final da tarde do dia 6, o sistema será religado, com a rede sendo totalmente pressurizada em até 48 horas.

Prefeitura de Macaíba abre concurso público com 627 vagas

A Prefeitura de Macaíba abriu concurso público com 627 vagas de níveis médio e superior. As inscrições podem ser feitas de 3 de dezembro a 3 de janeiro de 2019 exclusivamente pela internet. Os salários variam de R$1.082,24 a R$10.573,50. Confira o edital.

As inscrições custam R$ 85 para nível médio e R$ 105 para nível superior. As provas estão previstas para fevereiros de 2019. A banca organizadora do concurso é a Consulpam Consultoria.

Há vagas para agente administrativo, agente comunitário de saúde, educador social, técnico de enfermagem, técnico de farmácia, técnico em edificações, assistente social, auditor de tributos, dentista, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, pedagogo, psicólogo, professor, dentre outros.

De acordo com a Prefeitura de Macaíba, a realização do concurso público vem para reorganizar o quadro funcional do município, após a criação e adequação de cargos aprovada na Câmara Municipal e sancionada pelo Executivo, objetivando otimizar o atendimento à população.

‘Moro de saia’, senadora eleita no Mato Grosso vira incômodo no PSL

Senadora Selma Arruda Foto: Divulgação

Conhecida em Cuiabá como “ Sergio Moro de saia ”, a ex-juíza e senadora eleita pelo PSL de Mato Grosso, Selma Arruda — que se notabilizou por sentenciar políticos corruptos do Estado, como o ex-governador Silval Barbosa — vem se transformando em incômodo para o partido do futuro presidente da República.

No início de outubro, o Ministério Público Eleitoral de Mato Grosso pediu a quebra do sigilo bancário da magistrada aposentada em um processo no qual ela é investigada por abuso de poder econômico durante a pré-campanha eleitoral.

Há duas semanas, o ex-presidente nacional do PSL, Gustavo Bebianno, escolhido por Jair Bolsonaro para comandar a Secretaria-Geral da Presidência, foi arrolado pela defesa da ex-juíza como testemunha.

Selma entrou na mira de adversários políticos depois que as cópias de quatro cheques, assinados por ela entre abril e julho, foram anexados a um processo de cobrança movido pelo marqueteiro político contratado pela ex-juíza. Os cheques — que totalizaram R$ 550 mil — serviram para quitar parte do contrato de R$ 1,8 milhão que Selma fechou em abril, ainda durante a pré-campanha, com a agência Genius, do publicitário Junior Brasa, de Cuiabá. Bruno Abbud – O Globo

Leia mais‘Moro de saia’, senadora eleita no Mato Grosso vira incômodo no PSL

‘Se Congresso não aprovar reformas, ao menos vamos ter tentado’, diz Eduardo Bolsonaro

Resultado de imagem para Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito Jair Bolsonaro, admitiu nesta segunda-feira, 3, em entrevista ao programa de A Hora da Verdade, da Radio Red da Colômbia, que se o Congresso não aprovar as reformas econômicas propostas pelo próximo governo, “ao menos vamos ter tentado”.

“A esquerda vai tentar parar a todo o momento as reformas, o crescimento econômico. Se o Congresso não aprovar as reformas, ao menos vamos ter tentado. Temos de colocar as reformas adiante e comunicar os eleitores para que eles pressionem seus deputados para que eles as aprovem”, disse Eduardo Bolsonaro ao entrevistador Fernando Londoño, ex-ministro do Interior e da Justiça do presidente Álvaro Uribe.

Sobre a relação com o Congresso, o deputado federal disse que o pai dele não tem compromissos com políticos tradicionais. “Ele (presidente eleito) vai armar sua equipe de trabalho e não tem que conceder cargos a ninguém”, disse. Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

Leia mais‘Se Congresso não aprovar reformas, ao menos vamos ter tentado’, diz Eduardo Bolsonaro

Ministério do Trabalho será extinto e dividido em três pastas, diz Onyx

Ministros e outros cargos-chave do governo Bolsonaro

O futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou em entrevista nesta segunda-feira (3) que o governo de Jair Bolsonaro vai extinguir o Ministério do Trabalho.

Segundo Onyx, as atribuições da pasta serão divididas entre Economia, Cidadania e Justiça.

“O atual Ministério do Trabalho como é conhecido ficará uma parte no ministério do doutor [Sergio] Moro, outra parte com Osmar Terra e outra parte com o Paulo Guedes, lá no ministério da Economia, para poder tanto a parte do trabalhador e do empresário dentro do mesmo organograma”, afirmou.

Trata-se de uma mudança em relação ao que foi afirmado pelo presidente eleito em novembro, que disse que a pasta seguiria com status de ministério.  
Talita Fernandes e Laís Alegretti – Folha de São Paulo

Leia maisMinistério do Trabalho será extinto e dividido em três pastas, diz Onyx

Juízes e promotores pedem compensação por fim de auxílio-moradia

Raquel Dodge recorreu ao STF para que procuradores e promotores não sejam afetados com fim do auxílio. Associações de classe reclamam que aumento de 16,38% é insuficiente para recompor a perda nos vencimentos com o fim do benefício. 

Associações de categorias ligadas ao Poder Judiciário e ao Ministério Públicodiscutem formas para recuperar, ao menos em parte, perdas que teriam sido provocadas pelo fim do auxílio-moradia e cogitam a criação de um benefício adicional, com a justificativa de compensar a redução de valores nos vencimentos dos servidores. Caso avance, a sugestão deve ser levada ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Os órgãos serão responsáveis por regulamentar casos em que o auxílio-moradia será permitido, após o ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, revogar na semana passada liminares de 2014 que garantiram o pagamento do benefício sem restrições.

A decisão de Fux fez parte de um acordo com o presidente Michel Temer, que sancionou reajuste de 16,38% para o salário dos ministros do STF — base para o restante do funcionalismo público. Associações de classe, porém, reclamam que a revisão é insuficiente para recompor a perda nos vencimentos com o fim do auxílio-moradia, que não sofre descontos por ser verba indenizatória. Já sobre o valor a mais no salário, incidem tributos. Estadão Conteúdo

Leia maisJuízes e promotores pedem compensação por fim de auxílio-moradia

Cão de George H. W. Bush fica ao lado do caixão de ex-presidente

Sully, o cãozinho do ex-presidente dos EUA George H. W. Bush.
Sully, o cãozinho do ex-presidente dos EUA George H. W. Bush. Foto: Instagram/@sullyhwbush

A presença de um cachorro na vida das pessoas que passam por algum problema de saúde é valiosa. E não foi diferente com o ex-presidente dos Estados Unidos George H. W. Bush, que sofria com a doença de Parkinson.

O ex-líder americano morreu, aos 94 anos, na sexta-feira, 30. O cãozinho Sully, um labrador, foi dado a Bush para abrir portas, pegar itens e conseguir ajuda para ele. O animal foi dado em junho pela organização sem fins lucrativos VetDogs.

Neste domingo, 3, uma foto de Sully ao lado do caixão do dono, coberto com a bandeira dos Estados Unidos, foi publicada nas redes sociais e viralizou.

No perfil no Instagram criado para acompanhar a rotina do cãozinho, a frase “Missão cumprida” arrancou lágrimas dos seguidores. 

Sully deve retornar para os responsáveis pela VetDogs, em Nova York, antes de ingressar no Programa Dog Facility do Centro Médico Militar Nacional Water Reed.


Bolsonaro diz que deve encontrar Trump em março

Muito à vontade num look torcedor, com tênis, camisa do Palmeiras e óculos, segundo ele, de 2 graus, Jair Bolsonaro chegou ao hangar presidencial de Congonhas no domingo à noite, por volta de 20hs e 30 para voltar ao Rio — depois de ver o Palmeiras vencer o Vitória, à tarde, e ajudar a entregar as faixas de campeão aos jogadores no Allianz Parque.

Enquanto aguardava o voo, que só sairia às 21h50, comendo castanha do Pará, o presidente eleito falou com exclusividade à fotógrafa da coluna Denise Andrade que conseguiu acesso ao setor onde ele estava.

Indagado se vai se encontrar com o presidente Donald Trump, disse que “só em março, depois da cirurgia”. Não fosse o atentado que sofreu em Juiz de Fora, esse encontro até poderia ter ocorrido neste fim de semana em Buenos Aires, visto que o presidente eleito foi convidado por Temer para acompanhá-lo ao encontro do G-20.

Sobre o atentado em Juiz de Fora, comentou que “a faca estava muito enferrujada e isso complicou”. A propósito do ataque, acrescentou: “Não morri por 3 centímetros”. Sonia Racy – Direto da Fonte/O Estado de São Paulo

Lei garante motorista e carro blindado a familiares de Bolsonaro

Os cinco filhos do presidente eleito, Jair Bolsonaro, terão direito a carro blindado e a segurança bancados com verba pública. O Artigo 10 da Lei 13.502/17 estabelece que cabe ao Gabinete de Segurança Institucional garantir a integridade do presidente, do vice e também de seus familiares.

Como os três mais velhos, Flávio, Carlos e Eduardo, estarão exercendo mandato legislativo a partir de 2019, terão, ainda, direito a proteção das Casas nas quais trabalharão. Os filhos mais novos, Renan e Laura, e a primeira-dama, Michelle, ficarão a cargo do GSI.

Déjà vu. Nesta semana, a Justiça negou ação que pedia ressarcimento a Dilma Rousseff pelo uso do carro oficial por sua filha, Paula, e o marido dela, Rafael Covolo. O juiz entendeu que há previsão legal para os deslocamentos em razão de “maior exposição pública”.

Benesses. Os servidores que farão a segurança dos filhos de Bolsonaro terão cartão corporativo para pagamento de despesas. Em 2008, uma falha no sistema revelou que um segurança pessoal de Lurian Cordeiro, filha do ex-presidente Lula, gastou R$ 55 mil em Florianópolis, onde ela mora. Coluna do Estadão

Governadores eleitos assumem sob a ameaça de ‘bombas fiscais’

ALMG

A dramática situação financeira dos Estados não impediu que deputados armassem verdadeiras “bombas fiscais” para os governadores eleitos que vão assumir seus mandatos a partir de 1.° de janeiro. Em ao menos quatro Estados e no Distrito Federal, tramitam nos Legislativos estaduais ou já foram aprovados após o resultado das urnas projetos que, se somados, impactam em R$ 1,1 bilhão por ano os cofres públicos. 

Em Minas, a Assembleia Legislativa aprovou há 13 dias um aumento de salário para os servidores públicos que terá impacto anual de R$ 122,5 milhões. O reajuste já foi sancionado pelo governador em exercício, desembargador Nelson Missias de Morais. Fernando Pimentel (PT), governador do Estado, está em viagem em caráter pessoal ao exterior. O vice, Antônio Andrade (MDB), e o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes (MDB), substitutos diretos de Pimentel, também estão em viagem. No mês passado, já havia sido aprovada a transferência para o governo de uma dívida de R$ 100,7 milhões de fundações associadas à Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg).

“Não nos parece um momento adequado. O Estado já está absolutamente falido”, disse o vereador de Belo Horizonte Mateus Simões (Novo), coordenador da transição. O deputado estadual André Quintão (PT), líder do governo, afirmou que a aprovação dos reajustes representou uma questão legal, de data-base, e só não ocorreu antes por causa do período eleitoral.

Leia maisGovernadores eleitos assumem sob a ameaça de ‘bombas fiscais’

Polícia Civil recupera celular avaliado em 2 mil reais no lixão em Natal

Na ocasião, ninguém foi preso pois existem atualmente mais de 300 catadores de lixo, ficando impossível identificar o proprietário da mochila.

Policiais civis da Delegacia Especializada de Atendimento ao Turista (DEATUR) com o apoio da Delegacia Especializada de Proteção ao Meio Ambiente (DEPREMA) recuperaram, na última quinta-feira (29), um celular de modelo iPhone 6s, no valor de R$ 2.000,00.

As diligências tiveram início por volta das 8 horas da manhã, após a equipe da DEATUR ser acionada para investigar um furto em um hotel, localizado na Via Costeira. Quando a equipe chegou ao local, acionou o alarme do celular que estava dentro de uma mochila, no lixão de Cidade Nova, em Natal. Além do aparelho, duas trouxas de maconha foram encontradas dentro da mochila.

PC do B de Manuela d’Ávila faz fusão com o PPL para não ser extinto

Resultado de imagem para Partido de Manuela d’Ávila faz fusão com o PPL para não ser extinto

O PC do B de Manuela d’Ávila vai incorporar o PPL (Partido Pátria Livre), neste domingo (2), a fim de superar a cláusula de barreira.

Segundo a coluna Painel, da Folha, o partido pretende formar uma frente democrática que será liderada por d’Ávila, que foi candidata a vice-presidente de Fernando Haddad (PT), e Flávio Dino, governador do Maranhão.

A regra da cláusula de barreira foi aplicada na eleição de 2018. Cada partido tinha de ter conseguido pelo menos 1,5% dos votos válidos, distribuídos em, ao menos, nove unidades da federação. Uma outra opção era eleger, no mínimo, nove deputados distribuídos em pelo menos nove estados da nação.

Caso essas exigências não sejam atingidas, a sigla fica sem recursos de fundo partidário e sem tempo de propaganda gratuita, o que acarreta na sobrevivência do partido.

%d blogueiros gostam disto: