Fátima repete tática de Robinson para discutir crise financeira do RN

Fátima Bezerra se reuniu com senadores e deputados federais para tratar da questão financeira do Rio Grande do Norte — Foto: Elisa Elsie
Fátima foi orientada por João Maia e sua irmã Zenaide Maia, assim como na época dela Robinson fez isso e não resolveu nada com esse tipo de ajuda

A governadora Fátima Bezerra se reuniu nesta segunda-feira (21), em Natal, com deputados e senadores potiguares para repetir o que ex-governador Robinson Faria, fazia pedir ajuda do governo federal e recebeu o mesmo apoio e compromisso da bancada federal do RN concedeu ao seu antecessor para obtenção dos recursos extras.

Com a desconfiança da governadora do PT, os deputados federais e senadores vão assinar, junto com Fátima, um pedido de audiência com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Fátima Bezerra seguindo o manual do ex-governador Robinson com o ex-presidente Temer, ela pediu a união e o apoio das bancadas para as medidas que precisarão ser adotadas junto ao Governo Federal, como a liberação dos recursos da antecipação dos royalties do petróleo, a aprovação da repartição com Estados e municípios da cessão onerosa pela exploração de gás e petróleo, conclusão de obras como a Reta Tabajara, o complexo da Avenida Maria Lacerda e de obras de habitação e de segurança hídrica como a conclusão da barragem de Oiticica, no município de Jucurutu.

Votação aberta para presidente do Senado é casuísmo, diz Cid Gomes

cid gomes fabio rodrigues pozzebom abr

O ex-governador Cid Gomes (PDT-CE) se prepara para assumir seu primeiro mandato no Congresso Nacional como um dos líderes do recém-criado bloco oposicionista formado por PDT, PSB, Rede e PPS. O primeiro desafio, brinca, é conseguir reunir senadores no recesso. “Vim a Brasília [na semana passada] e só consegui encontrar dois.”

Mas a grande tarefa inicial é construir uma candidatura à presidência do Senado que concilie, segundo ele, o sentimento predominante na Casa: alguém que não pregue oposição radical ao governo, nem seja alinhado automaticamente ao presidente Jair Bolsonaro. Pelo primeiro motivo, o grupo quer se desvencilhar do PT. E, com o receio de incorrer em uma situação ou outra, não quer a volta de Renan Calheiros (MDB-AL) ao comando do Senado.

Na próxima sexta-feira (25) o bloco vai se reunir em Brasília na busca de um nome de consenso para enfrentar Renan – até agora o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) é o mais cotado para encarnar esse papel. Cid defende que a discussão seja feita sem maniqueísmos e casuísmos. Edson Sardinha – Congresso Em Foco

Leia maisVotação aberta para presidente do Senado é casuísmo, diz Cid Gomes

Guamaré gasta com saúde dez vezes mais que Assú

De acordo com publicação de levantamento do Conselho Federal de Medicina, divulgado nesta segunda-feira (21), sobre os investimentos realizados pelas prefeituras dos mais de 5 mil municípios do país, a Prefeitura de GUamaré investiu 10 vezes mais do que o prefeito do Assu e médico Gustavo Soares, irmão do líder e deputado George Soares, em 2017.

Enquanto Guamaré gastou com saúde R$ 2.298,86 aplicados pela Prefeitura por ano por cada habitante, o prefeito e médico Gustavo Soares que mora em Natal e como sócio investiu na construção de luxuosa clínica de ortopedia em Mossoró – aplicou apenas R$ 280,62 na terra natal que lhe paga salário mensal de R$ 18 mil como chefe do executivo.

A média nacional é de investimento de R$ 403 por ano por habitante. Dos 167 municípios do RN, 95 gastam menos que esse valor, anualmente. Os dados foram divulgados hoje pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e são de 2017

Tribunal condena Estado a pagar R$ 17 milhões a Queiroz Galvão e Construbase

Foto aérea mostra a ponte Newton Navarro, inaugurada em novembro de 2007. Edificação é considerada a mais alta ponte estaiada (suspensa por cabos) do país — Foto: Canindé Soares
Ponte Newton Navarro, é considerada a mais alta ponte estaiada (suspensa por cabos) do país — Foto: Canindé Soares

O Estado do Rio Grande do Norte foi condenado a pagar à Construbase Engenharia Ltda. e à Construtora Queiroz Galvão S.A. a quantia total de R$ 17.608.151,32 como adimplemento de parte das contraprestações pecuniárias impostas ao estado em relação ao Contrato de nº 072/2004-SIN, firmado entre as empresas e o Executivo, por intermédio da Secretaria de Infraestrutura, para a edificação das obras relativas à construção da ponte Forte-Redinha (Ponte Newton Navarro), em Natal.

O valor referente à execução de obras para a construção da nova ponte sobre o Rio Potengi, na cidade de Natal, mediante o regime de empreitada por preço unitário, é composto por: R$ 14.950.359,40, a título de valor principal dos serviços executados; R$ 2.103.515,57, referente a reajuste do valor das referidas prestações; e de R$ 554.276,35, de correção monetária do reajuste.

Segundo as empresas de construção civil, o cumprimento das obrigações cabíveis a elas, consistente na entrega das obras contratadas, foi ultimado e atestado pelo estado do Rio Grande do Norte. Porém, o estado não honrou o pagamento das quantias devidas. A sentença é do juiz Bruno Montenegro Ribeiro Dantas, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Natal.

Leia maisTribunal condena Estado a pagar R$ 17 milhões a Queiroz Galvão e Construbase

Homem mata, enterra esposa em casa e sai para jogar em São Fernando

Daniele Medeiros, de 32 anos, foi encontrada morta e enterrada no quintal de casa em São Fernando, no interior do RN — Foto: Redes sociais
Daniele Medeiros, de 32 anos, foi encontrada morta e enterrada no quintal de casa em São Fernando, no interior do RN — Foto: Redes sociais

Uma mulher de 32 anos foi morta pelo próprio marido e enterrada no quintal de casa, na madrugada do sábado (19), em São Fernando, na região Seridó potiguar. Segundo a Polícia Militar, após o crime, o homem manteve uma rotina normal durante o dia, inclusive saindo para jogar futebol com amigos.

Ele só confessou o crime à família no final da noite, segundo o G1 RN. O suspeito chegou a fugir, mas se entregou na manhã deste domingo (20), à polícia.

Ainda de acordo com a PM, os policiais da cidade foram acionados pela irmã do suspeito, por volta das 23h20. Ela informou que o homem tinha matado a esposa e a enterrado no quintal de casa no conjunto Vital Galdino. O corpo foi achado no local apontado pelo suspeito aos familiares, enterrado, com marcas de agressões e uma perfuração de tiro na cabeça.

A família disse à polícia que o homem chegou à noite da casa da mãe dele e revelou que tinha asssassinado a sua esposa, identificada como Daniele Medeiros. Após confessar o crime à família e apontar o local onde o corpo estava enterrado, o suspeito fugiu.

Leia maisHomem mata, enterra esposa em casa e sai para jogar em São Fernando

Justiça bloqueia bens de ex-gestores de Olho D’Água do Borges

O juiz Edilson Chaves de Freitas, da Comarca de Umarizal, decretou a indisponibilidade de bens dos ex-gestores do Município de Olho D’Água do Borges, Antônio Wilson Gonzaga Dias, na quantia de R$ 154.050,17, e José Jackson Queiroga de Morais, na quantia de R$ 22.380,72 em uma Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público onde acusa ambos por irregularidades na aplicação de verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O magistrado determinou a ordem de bloqueio via Bacenjud, até o limite de R$ 154.050,17 em relação a Antônio Wilson Gonzaga Dias e R$ 22.380,72 a José Jackson Queiroga de Morais e também determinou a expedição de ofícios ao Cartório de Registro de Imóveis da comarca para que averbe a indisponibilidade de bens existentes em nome dos acusados até o limite de R$ 154.050,17 em relação a Antônio Dias e R$ 22.380,72 a José Jackson. O Detran deverá lançar impedimento nos veículos registrados em nome dos acusados.

Leia maisJustiça bloqueia bens de ex-gestores de Olho D’Água do Borges

‘Espero que governo da Venezuela mude rapidamente’, diz Bolsonaro em Davos

Da esq. para a dir. o deputado federal Eduardo Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro, o chanceler Ernesto Araújo e o ministro da Justiça, Sergio Moro, durante viagem a Davos

O presidente Jair Bolsonaro disse a jornalistas, na chegada a Davos, no fim da tarde desta segunda-feira (21), que veio ao Fórum Econômico Mundial na Suíça para “mostrar, via nossos ministros em especial, que o Brasil mudou” e que o país está pronto para que “negócios voltem a florescer” e para “restabelecer a confiança do mundo em nós”.

Sobre os desdobramentos da crise política na Venezuela, o presidente afirmou esperar que o “governo [do ditador Nicolás Maduro] mude rapidamente”.

Bolsonaro afirmou que não vai detalhar o plano do governo para a reforma da Previdênciadurante sua participação no encontro. Ele discursa em plenária na tarde desta terça-feira (22). Folha de São Paulo

Leia mais‘Espero que governo da Venezuela mude rapidamente’, diz Bolsonaro em Davos

Concessões de aeroportos envolverão investimento de R$ 8,8 bi, diz secretário

Maior investimento está concentrado no bloco que inclui Congonhas. Foto: Felipe Rau/Estadão

O secretário de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura, Ronei Glanzmann, afirmou nesta segunda-feira, 21, que as próximas rodadas de concessões aeroportuárias, envolvendo mais seis blocos, demandarão investimento de R$ 8,8 bilhões.

O maior montante está concentrado no bloco que inclui o Aeroporto de Congonhas (SP) e outros cinco terminais, com R$ 2,4 bilhões.

“Engana-se quem acha que Congonhas é a joia da coroa. Há muito investimento a ser feito”, destacou Glanzmann, em apresentação durante a inauguração de um terminal dedicado à aviação geral no Aeroporto de Guarulhos (SP).

Segundo o secretário, o aeroporto central paulista não está em conformidade com uma série de normas internacionais, “caras e difíceis de serem resolvidas”, o que explica a previsão de elevados aportes. Letícia Fucuchima, O Estado de S.Paulo

Leia maisConcessões de aeroportos envolverão investimento de R$ 8,8 bi, diz secretário

Ex-prefeito Ivan Júnior lamenta falecimento de Régis em Assú

A imagem pode conter: 1 pessoa

O ex-prefeito do Assú Ivan Júnior, usou a sua rede social no Facebook para divulgar mensagem lamentando e externando solidariedade pela morte do radialista José Régis.

“Aos familiares e amigos do radialista José Regis, “Registrando”, ex-vereador e presidente da Câmara de Assú, e atualmente atuava como comunicador na região do Vale, externo meu mais sincero abraço de pesar, diante dessa perda irreparável. 

Nesse momento de perda, não há lado politico, e sim, um sentimento de união e fé, pra que Deus conforte a todos os que estão sofrendo com essa grande perda, de um guerreiro que lutava há muito tempo pela vida. 

Eu e Vanessa, deixamos aqui nossa manifestação de pesar, e que descanse em paz!”

Deputado veta indicação da advogada Liana para direção do hospital do Assú

Líder do governo e deputado George Soares, não vai bater continência para sindicalista e petista subalterna do Assu

O líder da governadora Fátima Bezerra, na Assembléia, o deputado do PR George Soares, não vai bater continência de jeito nenhum para uma funcionária subalterna, líder sindical do Sinte/RN em Assu e petista Inês Almeida, como o Blog do VT chegou a ventilar, mas vai endurecer a postura, mandar e a desmandar na cidade, sem abrir mão de sua importante condição política no governo do PT.

Atendendo a pedido da diretora geral do Pronto socorro Municipal – PSM, Linduina Melo, a protegida especial do Pavão e super secretário Nuilson Pinto, vetou o nome da advogada Liana Fonseca, que seria indicada da deputada federal Natália Bonavides (PT) e de seus aliados no município para a direção geral do Hospital Regional Dr. Nelson Inácio.

Já comenta-se nos bastidores que a dupla de petistas assuenses emplacados em cargos importante na Secretaria Estadual de Saúde – SESAP em Natal: os petroleiros Luiz Carlos e Sá Cachina, já jogaram a tolha e desistiram da indicação da advogada e irmão do petroleiro e petista, João Nogueira, que também a deputada petista. Não vão mais quebrar lança para derrubar o veto do deputado George Soares a Liana.

Presidente do BNDES é investigado sobre pedaladas no governo do PT

Joaquim Levy
MPF apura a responsabilidade de Levy em supostas operações de crédito entre a União e bancos públicos “de modo disfarçado e ilícito, pelo ex-ministro da Fazenda de Dilma do PT” e outras pessoas, em 2015

O ex-ministro da Fazenda e atual presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, é alvo de um inquérito civil do Ministério Público Federal (MPF) por improbidade administrativa pelas chamadas pedaladas fiscais em 2015, durante o governo do PT de Dilma Rousself.

Segundo reportagem do jornal O Globo, o MPF apura a responsabilidade de Levy em supostas operações de crédito entre a União e os bancos públicos feitas sem autorização legal ou previsão “de modo disfarçado e ilícito, pelo ex-ministro da Fazenda” e outras pessoas, em 2015. A intenção, aponta o MPF, seria melhorar artificialmente as contas públicas.

As chamadas pedaladas fiscais foram a justificativa para o pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Ao “pedalar”, a União atrasava repasses para os bancos públicos, que usavam seus próprios recursos para suprir custos de políticas públicas, simulando saúde nas contas públicas para camuflar.

Leia maisPresidente do BNDES é investigado sobre pedaladas no governo do PT

Coaf, cita Flávio Bolsonaro e outros 27 políticos no Rio

O deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), mais 21 deputados e seis ex-deputados, foram citado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) por movimentações financeiras atípicas de outros da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

O filho do presidente  teria recebido R$ 96 mil. Os nomes de 27 políticos estão em um relatório produzido pelo Coaf e enviado ao Ministério Público Federal em junho do ano passado. Neste domingo, 20, o jornal O Globo disse que, no total, o ex-assessor de Flávio movimentou R$ 7 milhões em três anos.

Quem lidera a lista das movimentações citadas pelo Coaf é o ex-presidente da Alerj Jorge Picciani (MDB), com o valor de R$ 478 milhões. A ex-deputada Andreia Busatto (PDT) e seu marido, Carlos Busatto (MDB), prefeito de Itaguaí, também estão no topo da lista do Coaf. O casal é suspeito com R$ 81 milhões, entre 2011 e 2016.  Com informações de Fabio Serapião – O Estado de São Paulo

Em 3 anos, Flávio Bolsonaro comprou R$ 4,2 mi em imóveis

Documentos obtidos em cartórios mostram que o então deputado estadual e hoje senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) registrou de 2014 a 2017 a aquisição de dois apartamentos em bairros nobres do Rio de Janeiro, ao custo informado de R$ 4,2 milhões.

Em parte das transações, o valor declarado pelos compradores e vendedores é menor do que aquele usado pela prefeitura para cobrança de impostos. 

O período da aquisição dos imóveis pelo filho de Jair Bolsonaro é o mesmo em que o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) teria detectado movimentação de R$ 7 milhões nas contas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, segundo reportagem do jornal O Globo publicada neste domingo (20). 

O ex-motorista é investigado sob suspeita de ser o pivô de um esquema ilegal de arrecadação de parte dos salários de servidores do gabinete, prática conhecida como rachadinha. 

Flávio começou na vida pública em 2002, tendo como único bem na época um Gol 1.0, segundo sua declaração de bens. 

Leia maisEm 3 anos, Flávio Bolsonaro comprou R$ 4,2 mi em imóveis

Temer perdoou R$ 47,4 bi de dívidas de empresas, maior anistia em 10 anos

O último grande Refis, concedido pelo governo federal durante a gestão do ex-presidente Michel Temer, perdoou R$ 47,4 bilhões em dívidas de 131 mil contribuintes, de acordo com o balanço final do programa de parcelamento de débitos tributários, obtido pelo ‘Estadão/Broadcast’. O restante – R$ 59,5 bilhões, ou pouco mais da metade da dívida original – foi parcelado em até 175 prestações. 

Os parcelamentos especiais permitem que empresas refinanciem dívidas com descontos sobre juros, multas e encargos. Em troca, o governo recebe uma parcela da dívida adiantada, mas abre mão de uma parcela do que ganharia com juros e multas.

Parlamentares, muitos deles inclusive com dívidas com o Fisco, fizeram ao longo de 2017 forte pressão sobre o governo Temer para melhorar as condições do Refis, lançado em janeiro e que acabou virando lei só em outubro do mesmo ano. Em meio às investidas, o governo cedeu de olho num futuro apoio à reforma da Previdência – que acabou sendo engavetada. Os descontos chegaram a até 70% em multas e 90% em juros. Adriana Fernandes, O Estado de S. Paulo

Leia maisTemer perdoou R$ 47,4 bi de dívidas de empresas, maior anistia em 10 anos

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: