Coral da Assembleia Legislativa reflete identidade cultural do servidor

Criado em maio de 2004 e oficializado por meio de projeto de lei aprovado por unanimidade em dezembro do ano seguinte, o Coral da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte tem como objetivo utilizar a forma de canto coral como referência para a construção da identidade cultural do servidor público.

O grupo é formado por dez funcionários da Casa e oito voluntários, divididos em três tipos vocais. O professor Bruno Santos, regente do coral, explica que um grupo pode ter quatro estilos de vozes, compostos de acordo com cada tessitura vocal. São os chamados “naipes vocais”, que se dividem em sopranos – vozes agudas femininas; contraltos – femininas graves; tenores – vozes agudas masculinas; e baixos – que são as vozes masculinas graves.

Com o grupo atual, Bruno Santos diz que consegue trabalhar com três naipes vocais, pois é muito difícil dispor dos quatro estilos. Mesmo assim, o repertório do coral é bastante diversificado, com músicas de todos os períodos e estilos, incluindo Música Popular Brasileira, música estrangeira, música sacra e folclórica, todas cautelosamente selecionadas.

Leia maisCoral da Assembleia Legislativa reflete identidade cultural do servidor

‘Decreto sobre sigilo não compromete transparência’, diz ministro da CGU

A advogada-geral da União (AGU), Grace Mendonça, e o ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, falam sobre o acordo de leniência com a empresa Andrade Gutierrez Engenharia, investigada na Lava Jato.

O ministro da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, defendeu o decreto que ampliou o rol de servidores comissionados autorizados a classificar documentos como “ultrassecretos”

Ele disse que a Lei de Acesso à Informação (LAI) já permitia a descentralização de análise de pedidos e afirmou que a nova regra ajudará na desburocratização. O discurso foi alinhado ao do presidente Hamilton Mourão, que assinou o decreto. 

Especialistas afirmam que as mudanças podem dificultar a obtenção de dados via LAI, pois mais agentes poderão limitar as regras de acesso, e classificam a medida como um retrocesso. Rosário afirma que o decreto “não corta a transparência em nada, só descentraliza as decisões”. “Qualquer problema, isso pode ser revisado, por meio de recursos. Os recursos vão continuar iguais”, disse. Breno Pires, O Estado de S.Paulo

Leia mais‘Decreto sobre sigilo não compromete transparência’, diz ministro da CGU

George Soares faz conchavo com PT por direção de hospital para Linduina

A imagem pode conter: 6 pessoas, incluindo Volclene Bezerra Lula Da Silva, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, pessoas comendo, mesa, criança e área interna

Volclene Bezerra Lula da Silva, Vera Rodrigues e Maria Ines Almeida Morais devem se render a George e Gustavo Soares em troca de uma Secretaria na Prefeitura do Assu para o PT

Para não perder o monopólio da boquinha milionária do contrato do lixo da empresa do seu cunhado ANCHIETA & FONSECA LTDA com a Prefeitura do Assú, que já faturou mais de R$ 15 milhões,o petista Volclene Bezerra, anda se articulando com a assessora da governadora Fátima Bezerra, Inês Almeida, para aceitar a imposição do líder do governo, deputado George Soares, para indicar a Linduina Melo, para a direção geral do hospital regional.

O principal medo do petista Volclene Bezerra, tem motivação financeira para evitar que o presidente do diretório municipal do MDB Helder Alves, marido da vice-prefeita do Assú Sandra Alves, seja indicado para comandar a coleta do lixo em Assú, como está ameaçando os ronaldistas que temem também que a diretora geral do PSM da Prefeitura do Assú Linduina, uma espécie da baú de segredos do grupo político dos irmãos Soares, abra o bico se não for indicada o hospital regional do Assú.

Amedrontado com a ameaça da principal amiga especial do super secretário Nuilson Pinto, fazer um grande estrago político de desagregação e revelação de segredos, o deputado George Soares que emprega a esposa de Nuilson, o Pavão, no seu gabinete na Assembléia, sem outra saída está disposto ao sacrifício pelo amigo da patota do seu pai e candidato a prefeito no lugar do seu irmão em 2020.

Para Mourão, mudança de regra sobre sigilo de dados não afeta transparência

O presidente interino, Hamilton Mourão, que disse que medida não afeta transparência

O presidente interino, Hamilton Mourão, defendeu nesta quinta-feira (24) que a alteração nas regras de aplicação da LAI (Lei de Acesso à Informação) não afeta a transparência na divulgação de dados do governo.

Para ele, que assinou na quarta-feira (23) decreto com as alterações, há raros documentos que são classificados como ultrassecretos no país, dando como exemplo planos militares e acordos internacionais.

“A transparência está mantida e as coisas aqui no Brasil são raríssimas as que são ultrassecretas. Normalmente, são planos militares, alguns documentos e acordos do Palácio do Itamaraty, são pouca coisa”, disse.

Na opinião dele, a medida não atenta contra a liberdade de informação e tem como objetivo diminuir a burocracia na hora de desclassificar documentos sigilosos.

“Não atenta. São servidores escolhidos, já foi muito mais gente que podia classificar documento. Hoje, é muito reduzido, o que até dificulta, porque você tem de ter um balanceamento entre segurança e transparência”, disse.

A iniciativa permite que ocupantes de cargos comissionados possam classificar dados do governo como informações ultrassecretas, grau máximo de sigilo. O texto amplia o número de autoridades que podem tornar essas informações protegidas pelo período de até 25 anos.

Mourão disse que apenas ministros de Estado poderão classificar as informações como ultrassecretas. “O ultrassecreto não é o funcionário de nível mais baixo, só o ministro é que pode dar essa classificação”, disse. 

Ele foi lembrado que a iniciativa, contudo, abre justamente a possibilidade de funcionários comissionados do Grupo-DAS de nível 101.6 o qualificarem dessa forma, o que antes era feito apenas pelo presidente, vice-presidente, ministros, comandantes das Forças Armadas e chefes de missões diplomáticas ou consulares permanentes no exterior.

Mesmo assim, ele respondeu que o ” funcionário de nível mais baixo não vai colocar nada de ultrassecreto”.Gustavo Uribe – Folha de São Paulo

Leia maisPara Mourão, mudança de regra sobre sigilo de dados não afeta transparência

Gestão Bolsonaro muda lei, e assessores poderão impor sigilo a dados do governo

Os primeiros passos do governo Bolsonaro

Um decreto assinado pelo presidente interino, Hamilton Mourão, altera regras de aplicação da Lei de Acesso à Informação e permite que ocupantes de cargos comissionados da gestão possam classificar dados do governo federal como informações ultrassecretas, aquelas com grau máximo de sigilo, de 25 anos.

O texto da gestão de Jair Bolsonaro, publicado na edição do Diário Oficial da União desta quinta-feira (24), amplia o número de autoridades que podem tornar essas informações protegidas por 25 anos. Pelo texto anterior, essa classificação só poderia ser feita por presidente, vice-presidente, ministros de Estado, comandantes das Forças Armadas e chefes de missões diplomáticas ou consulares permanentes no exterior.

Já o decreto que entrou em vigor nesta quinta-feira autoriza também os assessores comissionados do Grupo-DAS de nível 101.6 ou superior, entre os mais elevados do Executivo. Podem ocupar esse cargo servidores públicos ou não e eles exercem funções de direção ou assessoramento superior, com remuneração mensal de R$ 16.944,90.

Além desses, as autoridades podem delegar a dirigentes máximos de autarquias, de fundações, de empresas públicas e de sociedades de economia mista também a fazerem essa classificação dos documentos públicos da esfera federal.
Talita Fernandes Gustavo Uribe e Angela BoldriniFolha de São Paulo

Leia maisGestão Bolsonaro muda lei, e assessores poderão impor sigilo a dados do governo

Governadora Fátima pode ceder chantagem do seu líder e deputado para comandar hospital regional

Governadora pode ceder chantagem político do deputado para a direção do hospital do Assú

A governadora Fátima Bezerra, do PT, está quase cedendo a chantagem do seu líder do governo na Assembléia e deputado do PR, George Soares, para atender a exigência imposta pela atual diretora-geral do Pronto Socorro Municipal – PSM, Liduina Melo, que ameaça inclusive acabar definitivamente a amizade especial que tem com o super secretário Nuilson Pinto, se não comandar a direção geral do Hospital Regional Dr Nelson Inácio .

Linduina bateu na mesa e avisou a Nuilson, apontado como candidato a prefeito do Assú em 2020, que quer gerenciar o hospital regional para facilitar a vida do homem da confiança e da patota de Ronaldo Soares, no jogo da sucessão da disputa para a Prefeitura do Assú e transformar a unidade estadual de saúde num birô eleitoral de favores principalmente do parlamentar que ameaça deixar o cargo de defensor do governo do PT se n for atendido.

O PT do Assú ainda resiste as investidas do deputado George Soares para emplacar Linduina Melo e Wallace Stoecel, por indicação do ex-prefeito José Maria que por orientação do deputado George Soares, já acionou o deputado federal Beto Rosado, do PP, para defender a indicação dos dois nomes no comando do hospital do Assu.

Graduação no IFRN para mais de mil vagas termina na sexta, 25

Resultado de imagem para ifrn

Edital 43/2018, da Pró-Reitoria de Ensino (Proen) do Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN),  divulgado em 7/12, tornou públicas as inscrições para os cursos superiores de Graduação ofertados pelo instituto.

A Seleção, via Sistema de Seleção Unificada (Sisu), tem prazo final essa sexta (25) às 23h59, de acordo com o horário oficial de Brasília/DF,  exclusivamente no Portal do SiSU. Caso o candidato não tenha acesso à internet, a inscrição poderá ser realizada presencialmente em qualquer um dos campi do IFRN, seguindo os horários pré-estabelecidos no Edital.

O documento traz os detalhes da seleção para as 366 vagas para os cursos de licenciatura (disponíveis em dez dos campi do Instituto), as 626 vagas para cursos de tecnologia (ofertadas em 12 campi), além das 40 vagas para o curso de Engenharia de Energias, no Campus Natal-Central. O edital completo (anexo) está disponível abaixo.

Leia maisGraduação no IFRN para mais de mil vagas termina na sexta, 25

Sujeira começa a tomar conta do Assú abandonado pelo Doutor

Foto da primeira travessa, entrando no conjunto Cristóvão Dantas

Desde de 2017 que a Prefeitura do Assu vem gastando uma nota preta com a empresa ANCHIETA & FONSECA LTDA, que faz a coleta de lixo e provocando uma ciumeira danada com a fortuna superior a R$ 15 milhões de reais que já amealhou no exercício do monopólio dos serviços de limpeza pública que exerce no governo do prefeito Gustavo Soares, irmão do líder do governo do PT e deputado do PR, George Soares.

No primeiro ano do governo, a Prefeitura pagou a empresa do lixo a bagatela de R$ 7 milhões e 602 mil reais. Já no segundo ano do mandato do prefeito, a ANCHIETA & FONSECA embolsou dos cofres públicos, R$ 6 milhões e 419 mil e agora no terceiro, já tem empenhado, o valor de R$ 1 Hum milhão e 384 mil reais, totalizando até agora, mais R$ 15 milhões no governo dos irmão Soares.

A atual empresa ANCHIETA & FONSECA LTDA – EPP tem como donos JONAS FONSECA JUNIOR e JOSE DE ANCHIETA FONSECA. O empresário Helder Cortez,
marido da vice-prefeita do Assu e presidente do diretório municipal do MDB, que ja atuou no ramo da limpeza e coleta do lixo em Assu, apesar de aliado político dos irmãos Soares, mas sem apoio e influencia, já desistiu de disputar uma licitação com a empresa do Alto do Rodrigues.

Fátima anuncia revogação de decreto que suspende gozo de licença-prêmio

Intenção do Governo era economizar com o pagamento de licenças-prêmio. Fórum de Servidores ameaçou entrar na Justiça

A governadora Fátima Bezerra, decidiu revogar o Decreto nº 28.697 que proibia a concessão de licenças-prêmios aos servidores estaduais, mas o Diário Oficial não publicou hoje a revogação da medida tomada após reunião realizada ontem (23) no Gabinete Civil, que reuniu representantes do Executivo e de entidades que integram o Fórum Estadual de Servidores Públicos do RN.

Segundo o secretário-chefe do Gabinete Civil, Raimundo Alves Júnior, que comandou a reunião com os representantes dos funcionários públicos do Estado, “o governo recuou e vai estudar uma alternativa e nós vamos revogar o decreto”, afirma.

O Governo do Estado informou que a situação do preenchimento de cargos comissionados, permanecerá como está, enquanto o Fórum reivindica que 70% das vagas comissionadas seja destinada aos servidores públicos – situação que traria, afirmam sindicalistas, “economia real ao Estado”.

O Governo do Estado não apresentou e nem sinalizou quando irá apresentar um cronograma para pagamento do passivo salarial, que acumula pendências da ordem de R$ 978 milhões e incluem atrasos no pagamento do 13º de 2017 para servidores aposentados e pensionistas que ganham acima de R$ 5 mil; o salário de novembro de 2018 dos servidores (ativos, inativos e pensionistas) que ganham acima de R$ 5 mil também não foi pago; e toda a folha salarial de dezembro do ano passado e do 13º salário de 2018.

Exercício pode proteger de depressão

Resultado de imagem para Exercício pode proteger de depressão

Desordem que atinge cerca de 300 milhões de pessoas de todas as idades no mundo, a depressão não é de hoje alvo de pesquisas que buscam possíveis formas de preveni-la. E uma das linhas de investigação é o impacto que podem ter as atividades físicas. Um novo trabalho publicado nesta quarta-feira, 23, reforça a estratégia.

A pesquisa teve como premissa uma abordagem genética para avaliar o potencial de proteção que fazer algum tipo de exercício pode ter contra o risco de desenvolver depressão.

Para fazer a análise, os pesquisadores, liderados por Karmel Choi, da Unidade de Psiquiatria e Genética do Neurodesenvolvimento do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, identificaram e cruzaram variantes genéticas de resultados de estudos de larga escala feitos para atividade física no Reino Unido e para depressão em um consórcio global. Giovana Girardi, O Estado de S.Paulo

Leia maisExercício pode proteger de depressão

PT e PSOL atacam Bolsonaro por reconhecer Guaidó na Venezuela

Oposição

Lideranças de oposição ao governo Bolsonaro atacaram nesta quarta-feira (23), pelas redes sociais, a decisão do Executivo de reconhecer o deputado Juan Guaidó, de 35 anos, como presidente interino da Venezuela.

“Começamos hoje na América Latina a caminhada dos conflitos que tanto repudiamos em outros continentes”, escreveu no Twitter a senadora e deputada eleita Gleisi Hoffmann (PT-PR).

No último dia 10, a presidente petista foi à Venezuela para a posse de Nicolás Maduro, que assumiu o segundo mandato com duração até 2025.

Para Gleisi, “Líbia, Iraque, Síria são lembranças atuais das decisões arrogantes dos Estados Unidos e seus parceiros políticos. O Brasil só tem a perder com esta intervenção na Venezuela”.

O coordenador Sem Teto Guilherme Boulos, candidato à Presidência pelo PSOL nas últimas eleições, chamou a ação de Guaidó de “golpe” e “a diplomacia brasileira se torna extensão do Departamento de Estado dos EUA”. Rafael Neves – Congresso Em Foco

Leia maisPT e PSOL atacam Bolsonaro por reconhecer Guaidó na Venezuela

Reforma da Previdência pode render economia de até R$ 1,3 tri, diz Guedes

0

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quarta-feira (24) que a proposta de reforma da Previdência que está sendo estruturada pelo governo pode render uma economia de R$ 700 bilhões a R$ 1,3 trilhão em dez anos, podendo chegar a dois terços a mais do que o esforço do governo anterior, que falhou.

Em entrevista à Reuters durante o Fórum Econômico Mundial na estação de esqui suíça de Davos, Guedes ressaltou a dimensão de uma reforma previdenciária que investidores consideram a pedra fundamental da agenda econômica do presidente Jair Bolsonaro.

“Estamos estudando os números e eles variam de R$ 700 a R$ 800 bilhões, a R$ 1,3 trilhão, então é uma reforma significativa e nos dará um importante ajuste estrutural fiscal”, disse Guedes.

 “Isso terá um poderoso efeito fiscal e vai resolver por 15, 20, 30 anos”, disse ele, que afirmou. “É isso ou seguimos (o caminho da) Grécia”.
REUTERS

Leia maisReforma da Previdência pode render economia de até R$ 1,3 tri, diz Guedes

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: