fbpx

Polarização política no Brasil supera média mundial, segundo estudo

De acordo com levantamento do Ipsos, publicada neste domingo pelo Estadão, a polarização política no Brasil supera a média global de 28 países e é “o principal catalisador de tensão” na percepção dos próprios brasileiros.

Segundo a pesquisa, 83% dos brasileiros dizem acreditar que há muito conflito entre apoiadores de diferentes partidos no país. A média global é de 69%.

A polarização política supera até mesmo as diferenças entre classes sociais, na opinião dos brasileiros: 79% disseram haver “muita tensão” entre ricos e pobres no país.

Em meio à queda de popularidade e pedidos de impeachment, Bolsonaro abraça aos poucos política tradicional

Nomeação de Ciro Nogueira para o comando da Casa Civil sela aliança de Bolsonaro com o Centrão Foto: Cristiano Mariz

Entre a campanha eleitoral, quando chamava o Centrão de “alta nata de tudo que não presta”, e o momento de entregar a “alma do governo” ao grupo político, com a nomeação de Ciro Nogueira (PP-PI) para a Casa Civil, o presidente Jair Bolsonaro foi gradualmente abrindo mais espaço à política tradicional, acossado por queda de popularidade e pedidos de impeachment.

No início do governo, a estratégia foi negociar diretamente com as chamadas “bancadas temáticas”, e não com partidos. As lideranças do governo na Câmara e no Congresso foram entregues a dois deputados de primeiro mandato, do mesmo partido do presidente, o PSL, à época: Vitor Hugo (GO) e Joice Hasselmann (SP), respectivamente. Além disso, o ministro da Justiça era o ex-juiz Sergio Moro, desafeto de diversos políticos.

A aproximação com o Centrão começou no segundo ano de gestão, principalmente com Nogueira e o atual presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Bolsonaro passou a ceder cargos do segundo escalão e fez mudanças nas lideranças. A aliança foi avançando até chegar à abertura das portas dos ministérios, neste ano. A mudança de postura, contudo, criou rachas na base.

Vice-presidente do PSL, o deputado Julian Lemos (PA) foi uma das figuras centrais da campanha de Bolsonaro em 2018, ao lado do ex-ministro Gustavo Bebianno, que morreu em março de 2020. A relação entre eles e o presidente foi rompida ainda nos primeiros meses da gestão. Para o parlamentar, Bolsonaro começou a se perder quando se afastou de quem estava ao lado dele na campanha para o Palácio do Planalto.

— Eu não critico deputados e senadores, como o Ciro, que estão no papel deles de conquistar espaço. Mas esse espaço poderia ter sido fortalecido com pessoas habilidosas que ajudaram o presidente e que hoje estão extremamente decepcionados e desacreditados. Todos foram jogados aos leões. Só ficaram os filhos.

Leia maisEm meio à queda de popularidade e pedidos de impeachment, Bolsonaro abraça aos poucos política tradicional

Rebeca ganha ouro no salto e crava nome na história da ginástica do Brasil

Rebeca Andrade é ouro no salto nas Olimpíadas de Tóquio - Miriam Jeske/COB

Rebeca Andrade colocou mais uma vez seu nome na história do esporte brasileiro hoje (1) ao se tornar a quarta mulher a conquistar uma medalha de ouro em competições olímpicas individuais. A ginasta, que já havia ganhado a prata no individual geral, desta vez ganhou o ouro no salto nas Olimpíadas de Tóquio. Ela é, também, a primeira brasileira a conquistar duas medalhas na mesma edição dos Jogos Olímpicos.

Na final do salto, diferentemente dos outros aparelhos, cada atleta se apresenta duas vezes, com saltos que necessariamente precisam ser diferentes. Rebeca foi a terceira a se apresentar e emplacou um 15.083, ficando em primeiro lugar. Mykayla Skinner, dos Estados Unidos, garantiu a prata com 14,916, e Seojeong Yeo, da Coréia do Sul, foi bronze com 14,733.

A prova não contou com Simone Biles, que havia passado para a final com a primeira colocação nas eliminatórias. A norte-americana, considerada a melhor ginasta do mundo, sentiu-se mal durante a apresentação no salto na final por equipes e, por segurança, pensando na sua segurança física e mental, retirou-se da competição.

Não se apresentou nos demais aparelhos na final por equipes e não competiu na final do individual geral, que define a ginasta mais completa. Sem ela, a vitória ficou com Sunisa Lee e a prata com Rebeca. Ontem (31) Biles anunciou que não competiria nas duas finais de hoje, no salto e nas barras assimétricas. Hoje (1), que também não participa do solo, amanhã (2). A dúvida é se ela compete na trave, terça (3), nesse que é seu aparelho mais fraco — ou menos forte.

UOL

RN recebe lote com mais de 62 mil doses de vacina contra Covid

RN recebe lote com mais de 62 mil doses de vacina contra Covid  — Foto: Reprodução/Ministério da Saúde

O Rio Grande do Norte recebeu, na manhã deste sábado (31), um carregamento com 62.010 unidades da vacina Pfizer contra a Covid-19.

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) espera a chegada de mais 51.600 unidades da Coronavac/Butantan até o domingo (1).

Todas as vacinas do primeiro lote recebido são destinadas à primeira dose, ampliando o processo de início da cobertura vacinal no RN.

As doses de CoronaVac serão divididas entre primeira e segunda doses.

A Sesap planeja o iniciar a distribuição das 113.610 unidades aos municípios potiguares neste domingo, com suporte da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed).

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: