Escoltado pela PF, Bolsonaro fez segundo corte de cabelo em 2 dias

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), corta o cabelo em salão no bairro de Bento Ribeiro, no Rio

Um dia depois de ter recebido um cabeleireiro em casa, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), deixou seu condomínio na Barra da Tijuca na manhã deste sábado (3) para um novo corte.

Bolsonaro saiu de casa às 9h30, sem divulgar a agenda para a imprensa. Segundo um assessor, o sigilo era por questões de segurança. O deslocamento de 30 km foi feito sob forte esquema de segurança, com batedores do Choque e policiais federais fortemente armados. 

Uma hora depois, uma multidão já o esperava em frente ao salão HJM, na rua Divisória, no bairro de Bento Ribeiro. Ele entrou no local sob aplausos e gritos de “mito”, “eu vim de graça” e “Bolsonaro, cadê você? Eu vim aqui só para te ver”.

Ele foi visitar o amigo e cabeleireiro Antônio Oliveira, que mantém um salão na mesma rua desde 1970. Segundo ele, Bolsonaro frequenta seu estabelecimento há 26 anos.

Enquanto tinha o cabelo novamente cortado, Bolsonaro preencheu um bilhete da Mega-Sena. Ele, que é antigo morador do bairro, mostrou-se simpático e à vontade no local. Disse em tom de brincadeira que não iria dormir na cadeira durante o corte “porque pegaria mal”. 

Seu Antônio se disse emocionado com a visita do presidente eleito.

Leia maisEscoltado pela PF, Bolsonaro fez segundo corte de cabelo em 2 dias

Bolsonaro segue passos de Trump e adota rede social para discursar

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e Jair Bolsonaro (PSL), presidente eleito no Brasil, que fez campanha segundo os passos do americano

A admiração do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) pelo americano Donald Trump não se resume apenas a adotar uma estratégia de campanha parecida ou medidas controversas, como transferir para Jerusalém a embaixada brasileira em Israel.

A inspiração chega ao ponto de influenciar o método usado pelo brasileiro para se comunicar: em vez de meios de comunicação tradicionais, as redes sociais. A exemplo do que acontece nos Estados Unidos, o Brasil caminha para ter um tuiteiro em chefe, apelido que Trump recebeu de críticos e adversários.

Nos Estados Unidos, imprensa e população descobriram que a melhor forma de saber o que o presidente está pensando é acessando o Twitter —a qualquer hora do dia.

A rede social é usada pelo americano para se manifestar sobre todos os assuntos, como imigração, eleições legislativas e opositores.

Quando decide atacar alguém, é igualmente direto. Quando o senador Ted Cruz era adversário nas primárias republicanas, em 2016, era “Ted mentiroso”; hoje, aliado, é o “Ted bonito”. Danielle Brant – Folha de São Paulo

Leia maisBolsonaro segue passos de Trump e adota rede social para discursar

Evangélicos devem defender democracia, diz pastor

O pastor Valdinei Ferreira no lançamento do Movimento Reforma Brasil, na Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo
O pastor Valdinei Ferreira no lançamento do Movimento Reforma Brasil, na Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo – Marcus Leoni/Folhapress

Tenha ou não votado em Jair Bolsonaro (PSL), todo cristão que zele por esse título deve agora se posicionar “de modo intransigente a favor da institucionalidade democrática”.

E não estamos falando de um bloco pequeno: se venceu, o capitão reformado o fez com “apoio estridente dos evangélicos”.

Assim diz o Reforma Brasil, movimento capitaneado pela Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo, fundada há 153 anos na capital paulista.

Há um ano, o Reforma Brasil se lançava com um manifesto crítico aos “cadáveres da política” e à bancada evangélica. 

A cena política brasileira era então descrita como um “vale de ossos secos”, para usar uma expressão do profeta bíblico Ezequiel, “dominado por legiões de mortos-vivos, instalados nos centros de poder do país”. Anna Virginia Balloussier – Folha de São Paulo

Leia maisEvangélicos devem defender democracia, diz pastor

Justiça intima vereador do Assú Valdson para audiência em Macau

A juíza da Justiça de Macau Cristiany Maria de Vasconcelos Batista, expediu mandado de intimação contra o vereador do PSB do Assu Waldson Henrique Pereira Bezerra para que o edil compareça  à audiência de Conciliação (Art. 334 – CPC/2015)], designada para a próxima quinta-feira, dia 08/11/2018, às 08:30h, a se realizar na sala de audiências do Fórum da Comarca de Macau.

‘Ficam as partes advertidas de que a ausência injustificada da autora implicará no arquivamento e extinção do processo sem julgamento do mérito, e a do réu ocasionará em confissão e revelia, nos termos do art. 7º da Lei n.º 5.478/68, c/c art. 11 da Lei n.º 11.804/2008. Presentes as partes e não se alcançando êxito na composição amigável, o prazo de 15 dias úteis para contestar contar-se-á da data da referida audiência, conforme estabelece o art. 335, inciso I, do CPC/2015. As partes devem estar acompanhadas de seus advogados’, diz o documento de intimação.

Ex-revendedor de celulares cobra multa de R$ 47 bilhões da Vivo

Foto: Nacho Doce/Reuters

O empresário Ricardo Hallak, ex-revendedor de celulares, cobra uma indenização de R$ 47 bilhões da Telefônica Vivo. O processo foi aberto em 2006, três anos depois de a pequena rede de lojas de Hallak, a Ricktel, ter ido à falência. Ele foi à Justiça, alegando que a Telesp Celular (hoje Vivo) foi responsável pela bancarrota de seu negócio.

Na segunda-feira passada, Hallak notificou a Vivo, exigindo que a tele fizesse provisão do valor da multa em seu balanço – os resultados acabaram sendo publicados na última terça-feira, sem a reserva.

O valor da indenização é questionado pela Vivo e por advogados ouvidos pelo Estado. A cifra ultrapassa o faturamento da Vivo, que ficou em R$ 43,2 bilhões em 2017, e é igual ao da Ambev, dona da Brahma e da Antarctica. 

O cálculo foi feito pela perita judicial Sandra Pestana, que trabalha para 64 juízes do Tribunal de Justiça de São Paulo. Mônica Scaramuzzo, O Estado de S.Paulo

Leia maisEx-revendedor de celulares cobra multa de R$ 47 bilhões da Vivo

Portugal exige nota mais baixa no Enem do que faculdades no Brasil

ctv-wxd-portuguesas
Oliveira pensa em estudar em Coimbra, como Camões e Gregório de Matos. ‘Não acho que seria difícil entrar, mas seria um problema me manter’  Foto: FELIPE RAU/ESTADÃO

Sem conseguir ser aprovada em Engenharia nas Universidades de São Paulo (USP) e Estadual de Campinas (Unicamp), Ana Marcela Costa, de 18 anos, já pensava em fazer cursinho pré-vestibular para mais uma tentativa.

Por sugestão da irmã mais velha, aproveitou a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para tentar uma vaga em Portugal e, para sua surpresa, foi aprovada em uma das mais renomadas instituições do país, a Universidade do Porto.

Com universidades tradicionais e reconhecidas mundialmente e custo de vida atrativo, Portugal tem atraído cada vez mais jovens para a graduação. A seleção com uso da nota do Enem e a exigência de pontuação mais baixa do que muitas universidades brasileiras têm facilitado essa migração. Para alunos e educadores, o cenário é reflexo da falta de informações sobre o processo e o custo, já que, mesmo públicas, as instituições portuguesas cobram taxa de anuidade. Isabela Palhares, O Estado de S.Paulo

Leia maisPortugal exige nota mais baixa no Enem do que faculdades no Brasil

Carteiras de identidade digitais não poderão ser usadas no Enem

Resultado de imagem para enem natal

Carteiras de identidade digitais não poderão ser usadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Para fazer as provas, os participantes deverão levar um documento oficial de identificação original, com foto e caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente. Os dois itens são os únicos obrigatórios para o exame.

A presidente do Inep, Maria Inês Fini, alerta os candidatos que farão o Enem de que não poderão usar identidades digitais. Isso porque haverá três checagens de identidade e uma delas ocorrerá durante a prova, quando o uso do celular é proibido. “Não leve essa única prova de identidade porque dentro da sala de aplicação de prova, ela não poderá ser utilizada”.

Os documentos válidos são as carteiras de Identidade expedidas por secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar e Polícia Federal; Carteira de Trabalho e Previdência Social; passaporte; Carteira Nacional de Habilitação, com fotografia e identidade funcional. Outros documentos específicos podem ser consultados na página do Enem.

Leia maisCarteiras de identidade digitais não poderão ser usadas no Enem

Bolsonaro diz que eleição pode ser explicada pelo ‘amor de Deus’

Bolsonaro mantém 'rotina' e corta cabelo em salão na zona norte do Rio. Foto: Divulgação/Assessoria de Jair Bolsonaro

Em entrevista ao pastor Silas Malafaia, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) afirmou que sua eleição não foi fácil e que só pode ser explicada “pelo amor de Deus”. A conversa, de aproximadamente dez minutos, foi gravada na última terça-feira, 30, quando Bolsonaro esteve na sede da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, na Penha, zona norte do Rio, mas foi ao ar neste sábado, 3, no programa de mesmo nome, na Band.

“Longe de mim querer ser o salvador da pátria”, disse o presidente ao pastor. “Mas o País não podia continuar flertando com o comunismo, o socialismo, com o populismo, com o desgaste dos valores familiares.” Bolsonaro afirmou que, durante a campanha, “em suas andanças pelo Brasil”, sempre dizia que o País precisava de um presidente “homem ou mulher, que fosse honesto, que tivesse Deus no coração e que fosse patriota”.

Bolsonaro contou que já esteve duas vezes com autoridades de Israel que se colocaram à disposição para ceder tecnologia capaz de atender ao problema da falta de água no Nordeste. “Com essa tecnologia, podemos fazer até melhor do que em Israel: lá chove menos do que no nosso semiárido”, afirmou. “Com isso, vamos dar independência ao povo do Nordeste, para que saia das mãos dos coronéis.” Renata Batista e Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

Leia maisBolsonaro diz que eleição pode ser explicada pelo ‘amor de Deus’

INSS corta 8 em cada 10 auxílios-doença de reavaliados em pente-fino

0

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) cortou o auxílio-doença de 8 em cada 10 trabalhadores que passaram por uma perícia de revisão realizada pelo órgão.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social, desde agosto de 2016, quando começou o pente-fino nos benefícios, foram realizadas 1.124.789 perícias no país.

Dos 464,4 mil trabalhadores que recebiam o auxílios-doença e que passaram por nova análise médica determinada pelo INSS, 359,5 mil foram cortados, ou 77% do total.

No caso das aposentadorias por invalidez, os cortes são menos frequentes. De 679,5 mil aposentados avaliados pelo instituto, 192,6 ficaram sem a renda (28% deles).

Também foram cancelados 73,7 mil benefícios de segurados que foram convocados pelo INSS, mas que não compareceram à perícia.

Leia maisINSS corta 8 em cada 10 auxílios-doença de reavaliados em pente-fino

Kassab decide colocar general na presidência dos Correios

Ministro Gilberto Kassab em evento em São Paulo

Em uma tentativa de alinhamento com o presidente eleito JairBolsonaro (PSL), o ministro Gilberto Kassab (Comunicações) decidiu trocar o comando dos Correios e nomear na presidência da estatal o general Juarez Aparecido de Paula Cunha.

O atual presidente, Carlos Fortner, será remanejado para uma diretoria dos Correios, onde ficará até o fim deste ano. Depois, deixa a empresa.

A informação foi divulgada pelo jornal Estado de S. Paulo e confirmada à Folha por Kassab. Atualmente, o general já preside o conselho de administração dos Correios.

“Fiz a troca para facilitar a transição”, disse Kassab.

“O Juarez é um general da área de ciência e tecnologia que se aposentou, e eu já tinha convidado para presidir o conselho dos Correios. Ele conhece o pessoal do Bolsonaro e pensei que isso ajudaria na transição.”

O ministro nega ter feito a mudança mirando um posto no novo governo. Disse que não combinou com a equipe do militar reformado.

Nas eleições, o PSD de Kassab anunciou neutralidade no segundo turno, mas integrantes do partido apoiaram Bolsonaro.

Brasil é campeão em número de estatais entre economias mais desenvolvidas

Resultado de imagem para Brasil é campeão em número de estatais entre economias mais desenvolvidas

Mesmo depois de uma onda de privatização nas décadas de 80 e 90, o Brasil é o país que tem o maior número de estatais entre as 36 nações da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

No total, são 418 empresas controladas direta ou indiretamente por União, Estados e municípios. Dessas, 138 são federais e poderão ser alvo de privatização no governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Juntas, essas companhias empregam mais de 800 mil pessoas, sendo cerca de 500 mil do governo federal. Nesse quesito, o Brasil também é campeão entre os países da OCDE seguido de perto pela França, mostra levantamento do Observatório das Estatais, da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Os dados da OCDE – clube que reúne os países mais desenvolvidos e do qual o Brasil quer ser integrante – não consideram China e Índia e incluem apenas as empresas do governo central, já que a estrutura dos países não tem estatais estaduais e municipais. Renée Pereira, O Estado de S.Paulo

Leia maisBrasil é campeão em número de estatais entre economias mais desenvolvidas

Decisão que já barrou enteado de Lula pode afetar filhos de Bolsonaro em 2020

Carlos, Flávio e Eduardo Bolsonaro em foto publicada no Twitter
Carlos, Flávio e Eduardo Bolsonaro, filhos do presidente eleito Jair Bolsonaro, em foto publicada no Twitter – Reprodução Twitter/@FlavioBolsonaro

Com votações expressivas nas eleições deste ano, o deputado federal reeleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e seu irmão, o senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), despontam como potenciais candidatos a disputar prefeituras em 2020. Mas uma decisão que barrou a candidatura de um enteado do ex-presidente Lula no passado pode ser empecilho para esse novo salto eleitoral.

Apesar de impulsionados pela popularidade do pai, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), os filhos em princípio esbarram um dispositivo na Constituição conhecido como “inelegibilidade por parentesco”.

Previsto no artigo 14, determina em seu parágrafo 7º que “são inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consanguíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção”, do presidente, governadores ou prefeitos —salvo se for candidatura à reeleição.

Foi esse dispositivo que barrou o registro de candidatura de Marcos Claudio Lula da Silva ao cargo de vereador em São Bernardo do Campo (SP), em maio de 2008, por decisão da maioria (5 votos a 2) dos ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Na época, Lula estava em seu segundo mandato como presidente.

Assim como o enteado do petista, em teoria tanto Eduardo como Flávio estariam enquadrados na chamada inelegibilidade por parentesco, que os impediria de disputar cargos no Executivo enquanto o capitão reformado estiver na Presidência –salvo em casos de reeleição. Rodrigo Borges Delfim – Folha de São Paulo

Leia maisDecisão que já barrou enteado de Lula pode afetar filhos de Bolsonaro em 2020

Nova cirurgia de Bolsonaro é considerada menos arriscada

Para esconder bolsa de colostomia, Bolsonaro muda figurino

Prevista para 12 dezembro, a cirurgia de fechamento da colostomia a que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) se submeterá é menos arriscada do que procedimentos anteriores, segundo o cirurgião que o acompanha, Antonio Luiz Macedo.

Segundo Macedo, os riscos envolvidos são os inerentes a toda cirurgia. “Mas são muito menores do que quando o operei em 12 de setembro, com uma peritonite grave, com grande contaminação, com fístula e obstrução intestinal. Agora os riscos são menores, mas sempre existem riscos em qualquer tipo de cirurgia”, relata.

O fechamento da colostomia —ou reconstrução do trânsito intestinal— consiste em abrir novamente o abdome e religar as alças do intestino grosso para que o trânsito intestinal volte ao normal e o paciente deixe de usar a bolsa coletora de fezes.

Macedo diz que, pelo fato de o presidente eleito já ter sido submetido a duas cirurgias anteriores, não será possível fazer o procedimento por meio de técnicas menos invasivas, como a videolaparoscopia ou a robótica.

“Tem que abrir o abdome, achar o coto intestinal grosso que está fechado dentro da barriga, mobilizá-lo, tirar o intestino da parede e fazer uma emenda”, explica. Ele afirma que o tempo cirúrgico é variado. Nessas condições, há chances de terem se formado aderências no intestino, o que pode deixar o procedimento um pouco mais demorado. Cláudia Collucci – Folha de São Paulo

Leia maisNova cirurgia de Bolsonaro é considerada menos arriscada

George Soares quer se vingar de duas derrotas para Ivan Júnior e 2020 vem ai

George Soares reduz diferença da maioria de vitória de votos de Ivan Júnior

O chefe da centenária oligarquia do Vale do Açu e deputado estadual George Soares, do PR, reduziu a pó a diferença da vitória de votos do ex-prefeito Ivan Júnior, do PSD, na comparação do confronto pessoal direto entre os dois nas eleições de 2012 e 2018.

Na campanha de 2012, para prefeito do Assú, Ivan Júnior ( 22.025 votos ou 65% ) bateu George Soares (11.542 votos ou 34%) com folga e o derrotou vergonhosamente com mais de 10 mil votos. Humilhado, George Soares chorou a dor derrota e no segundo confronto direto este ano para deputado estadual, voltou a perder em Assú. 

Agora em 2018, para deputado estadual, George Soares voltou a perder para Ivan Júnior, mesmo tendo o seu irmão e chefete do clã Gustavo Soares como prefeito do Assú e R$ 200 milhões arrecadados em dois anos como ‘gestor’.

George Soares (11.887 votos ou 37,08%) reduziu para 567 a diferença da grande maioria de votos da vitória de 2012, mas voltou a sentir o sabor amargo da derrota para Ivan Júnior (12.454 votos ou 38,85%). O próximo confronto político entre os dois deve acontecer nas eleições de 2020, quando o eleitorado voltará as urnas para escolher o novo prefeito do Assú.

RN tem mais de 124 mil candidatos para o Enem 2018

Mais de 115 mil fizeram provas do Enem no RN, em 2017 — Foto: Lamonier Araújo/Inter TV Cabugi

O Rio Grande do Norte tem 124.046 candidatos inscritos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que começa neste domingo (4). Eles representam um total de 2,2% dos 5,5 milhões de inscritos em todo o país.

No estado, os portões abrem às 11h e fecham às 12h do horário local, por causa do horário de verão, que passa a valer na madrugada do primeiro dia do exame.

As inscrições potiguares foram menores que no ano passado, quando o estado registrou 159.486 cadastros. Apesar disso, apenas no primeiro dia de prova, em 2017, foram registradas mais de 44 mil ausências, o que reduziu o número de candidatos para cerca de 115 mil.

Bolsonaro passa o feriado na base naval da Marambaia

Bolsonaro volta da base militar da Restinga da Marambaia Foto: Marcelo Regua / Agência O Globo

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) passou o feriado nesta sexta-feira na base naval da Restinga de Marambaia , no Rio de Janeiro. O local recebe presidentes em períodos de folga, como no final do ano e no carnaval.

Bolsonaro embarcou no Iate Clube de Itacuruçá, na Costa Verde, por volta das 13h30, em um barco da Marinha, e retornou para o mesmo local às 18h. Sócios e frequentadores do clube gritaram o nome do presidente eleito, que chegou a sair de dentro do barco para acenar à multidão.

Ele viajou acompanhado da mulher, Michele, da filha mais nova, Laura, de oito anos, e do filho Carlos Bolsonaro, vereador no Rio. No retorno ao Iate Clube, o acesso da imprensa foi restringido e os jornalistas não puderam se aproximar do presidente eleito, que passou próximo apenas de sócios e frequentadores. O Globo

‘Vou ser ministro sim’, diz Magno Malta

O senador Magno Malta (PR-ES) 31/10/2018 Foto: Jorge William / Agência O Globo

O senador Magno Malta(PR) confirmou nesta sexta-feira que tem espaço garantido no Palácio do Planalto, ao lado do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Ele, no entanto, não revelou se de fato comandará uma nova pasta que vem sendo chamada de “Ministério da Família”, que acomodaria Desenvolvimento Social e Direitos Humanos.

— Vou ser ministro, sim — afirmou ao GLOBO o senador, dizendo que caberá a Bolsonaro anunciar se realmente assumirá a área social do governo ou se ocupará um posto mais próximo ao presidente, no caso a Secretaria Geral da Presidência. — Onde eu estiver, eu estarei perto dele. Ele vai anunciar — disse Malta.

Na quinta-feira, ele teve uma reunião na casa do Bolsonaro para discutir seu futuro político. Em conversa com interlocutores, Bolsonaro tem demonstrado intenção de entregar a Malta as atribuições dos ministérios do Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. A avaliação é que a atuação de Malta à frente da CPI da Pedofilia o credencia para a função. Jussara Soares – O Globo

%d blogueiros gostam disto: