Emenda de deputado Benes para UTI já está empenhada e Estado confirma que recursos irão beneficiar a região do Vale do Açu

Depois da entrevista do ex prefeito Ivan Junior a rádio hoje, em que confirma o empenho da emenda do deputado federal Benes Leocádio para aquisição de equipamentos que serão utilizados na UTI do Hospital regional Dr. Nelson Inácio dos Santos, o grupo da gestão desastrosa de Gustavo Soares e incentivados pelo deputado George Soares, querem desqualificar essa emenda, anunciando boatos falsos.

O trâmite normal de uma emenda, é solicitar, empenhar, fazer a ordem de compra, depois recebe e líquida, e sobre a emenda, o gabinete do parlamentar cadastrou no tempo certo, já foi aprovada no fundo a fundo, está empenhada só que ainda não foi creditada, porque cabe ao Estado solicitar através de memorando, a liquidação com os recursos da emenda que cairão na conta do Estado.

EM resposta ao questionamento do promotor Alexandre, o secretário de Estado, Cipriano, evidencia que já iniciou o processo de aquisição dos equipamentos para UTI, que serão liquidados com recursos da emenda de Benes Leocádio: “ se deu início à aquisição dos equipamentos para a instauração da UTI do Hospital Regional Nelson Inácio dos Santos a que se refere citada emenda”.

O deputado George sabe bem o trâmite de tudo isso, e faz questão de conduzir essa prática sebosa da velha política que ele herdou e executa minuciosamente, que é torcer para que dê tudo errado, e a região fique prejudicada, só para ter o prazer de ver uma boa ação que não teve o seu dedo “maligno” dar certo.

Até hoje, a região do Vale do Açu, só está na situação precária em que se encontra, porque tem maus políticos, como o deputado George, que tenta usar de sua influência para fazer dar errado a liberação de emendas pra o povo, mas com o deputado Benes Leocádio ele tirou as contas erradas, porque o ex prefeito Ivan informou ao Ministério Público, que tem cobrado do Estado e da governadora Fátima, e que por estar encurralada, foi obrigada a anunciar os leitos de UTI na região.

Ninguém paga nada sem ter adquirido antes, isso é a praxe do poder público, e não é diferente quando se trata de emendas federais, principalmente depois dos escândalos que foram noticiados na imprensa, de que se pagam milhões por respiradores que nunca chegaram, e só quem perde com isso é a população.

Para os bons politicos, as vidas importam sim, mas graças a Deus a população do Vale vai ver os leitos de UTI instalados no Regional, e festejar essa conquista, enquanto o deputado George vai estar na capital, em seu luxuoso apartamento, amargando essa vitória do povo, que ele tanto lutou para prejudicar e que desse errado.

Assembleia faz censo em saúde com servidores no plano de retomada das atividades

A Divisão de Saúde e Políticas Complementares iniciou esta semana o censo em saúde para os servidores, dentro do plano de retomada das atividades presenciais. Um formulário com diversas perguntas relativas à saúde está sendo enviado online para os servidores de todos os setores e irá contribuir com a progressão do plano de retomada, que está em construção adiantada pelo Comitê dos Servidores para Prevenção e Combate à Covid-19.

“Esse censo da saúde é de suma importância para termos um perfil do servidor a fim de elaborarmos um plano específico e com as particularidades, traçando uma reabertura com muita segurança”, afirmou o diretor de Políticas Complementares da ALRN, Ricardo Fonseca.

De acordo com o diretor, o plano de retomada está na sua fase final e ficando extenso porque inclui não somente a sede do Legislativo, mas os anexos, a Escola da Assembleia e a Fundação Djalma Marinho. “É um plano bastante abrangente e eficaz porque está sendo elaborado através de recomendações e de pesquisas que os componentes fizeram em instituições como Sebrae, Sesi, Senai, Ministério da Saúde e outros órgãos público”’, explica o diretor.

A Assembleia irá funcionar das 8h às 16h, mantendo parte dos servidores em teletrabalho e outra parte presencial de acordo com a necessidade do setor e avaliação do chefe imediato.

O formulário está sendo enviado pela Coordenadoria de Gestão de Pessoas e dará subsídios para as estratégias que estão sendo elaboradas para a retomada. Os dados vão mostrar, por exemplo, quais setores têm mais servidores no grupo de risco, quantas pessoas já têm imunidade, entre outros, para formar um panorama geral.

A atuação do Comitê vai garantir a retomada gradual com segurança. Formado por 19 servidores de 12 setores da Casa, suas reuniões estão acontecendo por videoconferência e o plano que está sendo elaborado consta de protocolos de higiene, segurança e logística de acordo com o funcionamento dos setores.

Prevenção
O prédio da Assembleia Legislativa passou por desinfecção. Trinta técnicos das Forças Armadas que atuam no Rio Grande do Norte e na Paraíba fizeram a desinfecção do Legislativo Potiguar na última semana para combater o novo coronavírus. O processo de sanitização contemplou ações de higienização e eliminação do vírus, responsável pela pandemia da Covid-19.

Além do trabalho do comitê e da desinfecção, a Coordenadoria de Gestão de Pessoas elaborou cartilha com orientações aos servidores, sobre como minimizar os impactos do isolamento social. E como suporte nesse momento de pandemia, junto com a Divisão de Saúde, está oferecendo um serviço por telefone para os que necessitarem de algum esclarecimento.

A Divisão de saúde se movimentou também para assegurar a saúde física e saúde mental dos servidores, disponibilizando atendimentos virtuais para pacientes em tratamento, como é o caso da terapia feito por psicólogos e ainda, a telemedicina feita por profissionais de saúde da Casa.

Para conscientização de todos, a Comunicação da Casa e a TV Assembleia estão produzindo material, como vídeos detalhando dicas de prevenção ao coronavírus, além de textos com o trabalho do legislativo que podem ser acompanhados pelas redes sociais @assembleiarn e pelo site www.al.rn.leg.br.

GASTANÇA: Prefeito de Jucurutu vai torrar quase 1 milhão em obras em período pré eleitoral

O prefeito do município de Jucurutu, Valdir Medeiros “o liso”, que sempre se fez de “bom moço”, e cantava nos quatros cantos da cidade, que iria ser o prefeito revolucionário, falou muito e nada fez. Agora em período pré eleitoral, ele resolveu abrir os bolsos e vai torrar quase 1 milhão de reais em obras para o município.

Depois de 3 anos e meio de gestão, Valdir Medeiros veio se preocupar agora em realizar diversas obras que vão custar “os olhos da cara” para o município de Jucurutu. É de se espantar, pois em pleno período que antecede a campanha eleitoral de 2020, o prefeito decidiu abrir o cofre e encher de dividas a prefeitura.

Todos sabem que durante a pandemia no novo corona vírus, o que todo gestor deve se encarregar de fazer, é no mínimo investir todos os esforços no combate a pandemia e dar suporte básico de saúde para a população, pois a cidade de Jucurutu já está com 28 casos confirmados do COVID-19.

Mas ao invés disso, ele prefere investir em obras estruturantes, só que ninguém sabe para que, já que um doente do COVID não pode ser tratado no asfalto ou no calçamento, ou na reforma de mercado, ou de escola.

Confira aqui o documento extraído do Portal da Transparência.

Nota sobre a saída do ministro Rogério Marinho do PSDB

O blog recebeu nota do presidente do Diretório Estadual do PSDB/RN sobre a saída do ministro Rogério Marinho, do partido.

Nota do PSDB/RN

O amigo e ex-deputado Rogério Marinho solicitou afastamento dos quadros do PSDB/RN, em razão de estar ocupando o cargo de Ministro de Estado do Desenvolvimento Regional.

Esse pedido de desligamento da vida orgânica do nosso partido, apesar de lamentado por todos nós que fazemos o PSDB/RN foi absolutamente consensual e plenamente compreendido, em razão do momento político nacional.

Ao ministro Rogério Marinho desejamos êxito na relevante missão que desempenha, certos de que a sua presença no mais alto escalão do Governo Federal, além de fazer brilhar o nosso orgulho potiguar, oportuniza consequências positivas para o Rio Grande do Norte.

É uma honra para o nosso Estado ter Rogério Marinho ministro do Desenvolvimento Regional, cargo onde mantém o seu obstinado trabalho pelo desenvolvimento econômico e social da nossa terra e um forte elo de amizade com todos nós, que sempre lutamos por dias melhores para o Rio Grande do Norte.

Ezequiel Ferreira de Souza

Presidente do PSDB/RN

Comissão da AL conta com apoio da bancada federal do RN na luta pelo novo Fundeb

O presidente da Comissão de Educação Ciência e Tecnologia (CECT) da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Francisco do PT, realizou uma reunião de trabalho, por videoconferência, nesta sexta-feira (19), com o deputado federal Rafael Motta (PSB), membro da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e líder da bancada federal do Rio Grande do Norte em Brasília. O objetivo da reunião virtual foi apresentar um ofício, fruto de uma audiência pública em formato digital, realizada pela CECT na última quinta-feira (18), onde foram debatidos pontos considerados importantes sobre a aprovação da PEC 15/2015, que trata do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

“O objetivo da reunião de hoje é apresentar à bancada federal, aqui representada pelo deputado Rafael Motta, um ofício com os encaminhamentos da reunião de ontem (17). O nosso pedido é que reforce a nossa luta por um Fundeb forte e viável e que fortaleça as discussões pela aprovação da PEC 15/2015, que prevê mais recursos do Governo Federal para a Educação Básica do Brasil”, disse Francisco ao iniciar a reunião de trabalho.

Francisco demonstrou preocupação quanto ao tempo de vigência do Fundo que se encerra em dezembro deste ano. “Buscamos também o seu apoio para que esse tema entre na pauta nacional urgentemente, principalmente pela proximidade do final do prazo, mas também pela necessidade deste entrar no orçamento anual do Governo Federal para 2021”, preocupou-se.

O deputado Rafael Motta destacou que o tema é uma das bandeiras de seu mandato na Câmara Federal e de prontidão assumiu o compromisso de lutar com mais afinco pela aprovação da PEC 15/2015. Proposta em tramitação no Congresso Nacional visa tornar o Fundo permanente e busca maior participação da União na distribuição de recursos.

“Considero essa uma das PEC´s mais importantes em tramitação na Casa, porque ela vai dar um retorno real à população. É preciso destacar que dos R$ 156 bilhões destinados ao Fundeb, apenas R$ 14 bilhões são da União”, disse Rafael.

Membro da Comissão de Educação na Câmara dos Deputados, Rafael Motta ressaltou que há um entendimento coletivo de que o Fundeb deve ser perene e que cobrará celeridade na aprovação da PEC. “O trabalho da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte somará a tudo que estamos fazendo na Comissão da Câmara Federal, o que nos torna mais fortes na luta pela aprovação do Fundeb, principal fonte para manutenção da educação no país”, ressaltou Rafael Motta.

Diante do compromisso assumido, Francisco do PT encerrou a reunião. “A reunião cumpriu o objetivo para qual foi solicitada. Os municípios e estados correm o risco de colapsarem, caso não tenhamos um novo Fundeb com mais recursos e com mais investimentos na educação básica do Brasil”, encerrou.

Principal fonte para manutenção da educação no país, o Fundeb é um mecanismo de redistribuição de recursos destinados à Educação Básica. Quase que a totalidade dos recursos é proveniente de impostos e transferências dos municípios, estados e Distrito Federal, vinculados à educação, com participação da União.

Time de Guedes festeja saída de Weintraub do MEC e teme estragos no Banco Mundial

Saiba quem é quem na equipe econômica de Paulo Guedes | Economia | G1

A saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação foi celebrada, nos bastidores, por membros do Ministério da Economia.

A demissão é vista como uma chance de aproximação e redução de atritos entre os Poderes, especialmente em um momento em que a pasta busca articular reformas econômicas e reestruturação de programas sociais no Congresso.

Por outro lado, representantes da pasta e negociadores brasileiros afirmam que a indicação do ex-ministro ao posto no Banco Mundial, em Washington, tem grande potencial de dano ao país, a depender do comportamento do ocupante da cadeira.

A avaliação na área econômica é de que o ex-ministro terá de se abster do tom de confronto e das rotineiras falas polêmicas, já que, a partir de agora, suas declarações serão interpretadas internacionalmente como posições do governo brasileiro.

Nesta quinta-feira, foi anunciada a demissão de Weintraub do Ministério da Educação. No mesmo dia, foi confirmada sua indicação para ocupar o cargo de diretor-executivo no Banco Mundial para um grupo de nove países acionistas do qual o Brasil faz parte.

Leia maisTime de Guedes festeja saída de Weintraub do MEC e teme estragos no Banco Mundial

Caso Queiroz: MP investiga R$ 286,6 mil em dinheiro vivo repassados para Flávio Bolsonaro e mulher

Imagens de câmeras de segurança apontam que Queiroz fez pagamento de mensalidade escolar das filhas de Flávio Bolsonaro, segundo investigação Foto: Reprodução

Imagens de câmeras de segurança apontam que Queiroz fez pagamento de mensalidade escolar das filhas de Flávio Bolsonaro, segundo investigação

O Ministério Público do Rio (MP-RJ) apontou indícios, no pedido de prisão preventiva de Fabrício Queiroz na quinta-feira, de que o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) pode ter sido o responsável por até R$ 286,6 mil pagamentos e transferências em espécie para cobrir despesas do então deputado estadual e de sua mulher, Fernanda Antunes. Os valores se referem  a repasses em 2011 e, principalmente, a pagamentos de mensalidades escolares e do plano de saúde da família de Flávio, entre janeiro de 2013 e dezembro de 2018. O senador nega irregularidades.

A partir do cruzamento de dados bancários com imagens de câmeras de segurança de uma agência na própria Alerj, o MP apontou que Queiroz pagou as mensalidades escolares das duas filhas de Flávio e Fernanda no dia 1º de outubro de 2018, no valor total de R$ 6,9 mil. O pagamento foi feito em espécie. Ainda segundo o MP, Flávio e Fernanda não haviam feito nenhum saque nos 15 meses anteriores a este pagamento, “de forma que não haveria lastro financeiro lícito de dinheiro em espécie para efetuar a operação bancária”, segundo os investigadores.

“Portanto, conclui-se que o dinheiro utilizado pelo operador financeiro para pagar as mensalidades da escola das filhas do líder da organização criminosa não proveio das fontes lícitas de renda do casal, mas sim dos recursos em espécie desviados da Alerj e entregues pelos “assessores fantasmas” a Fabrício José Carlos de Queiroz”, diz o MP.

Leia maisCaso Queiroz: MP investiga R$ 286,6 mil em dinheiro vivo repassados para Flávio Bolsonaro e mulher

Pandemia afetou tratamento de câncer, aponta instituto

Além de ter causado 445.535 mortes em todo o mundo até sexta (19), o novo coronavírus impôs cuidados que, se por um lado ajudam a conter a disseminação da covid-19, por outro criaram desafios adicionais ao enfrentamento de outras doenças.

Uma das consequências da pandemia foi o atraso no diagnóstico e a interrupção do tratamento de casos de câncer. Situações que, segundo especialistas, podem contribuir para o agravamento da enfermidade.

Uma pesquisa que o Instituto Oncoguia realizou entre os dias 29 de março e 10 de maio revelou que 43% dos 429 pacientes oncológicos que responderam ao questionário foram impactados pela pandemia, contra 55% de entrevistados que disseram não ter sido prejudicados.

Entre os que declararam ter sido afetados pela crise sanitária, 15% afirmaram que seus tratamentos tinham sido adiados. Dez por cento relataram que não conseguiam agendar consultas e 6% que seus tratamentos haviam sido cancelados, sem previsão de retorno. Os 12% restantes relataram diferentes efeito da pandemia sobre suas rotinas.

Quarenta e três por cento dos pacientes afetados responderam que o adiamento ou a interrupção dos tratamentos ou procedimentos foi decidido por clínicas e hospitais, unilateralmente, por necessidade de priorizar o atendimento a pacientes infectados pelo novo coronavírus; incertezas quanto ao risco de propagação da covid-19; falta de profissionais de saúde ou outros fatores associados à pandemia.

Apenas 12% dos que responderam ao questionário disseram ter decidido eles próprios interromper a rotina de cuidados médicos. Em geral, por medo do contágio da covid-19. Em 3% dos casos a decisão foi compartilhada entre médico e paciente. Dois por cento dos pesquisados não tinham uma justificativa e 10% apresentaram outras razões.

Seis em cada dez dos pacientes oncológicos que responderam ao questionário e que utilizam o Sistema Único de Saúde (SUS) declararam que seu tratamento sofreu impacto, contra 33% dos usuários de hospitais particulares.

Leia maisPandemia afetou tratamento de câncer, aponta instituto

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: