fbpx

GESTÃO “SEBOSA”: Falta oxigênio em Assú e prefeito Gustavo Soares e deputado George fazem politicagem com sala de vacinas

Desde a semana passada, a cidade do Assú vive seu pior momento nessa pandemia, famílias perderam entes nas últimas semanas, chegando a serem registrados mais de uma morte por dia. O sentimento do povo assuense vai mais além de tristeza, pois o sentimento de abandono é o que reina na gestão do prefeito Gustavo Soares e a vice Fabielle, que não estão fazendo o melhor, pelo contrário, a incompetência corre solta.

Hoje, o secretário de saúde municipal, Carlos Júnior, esteve no programa Caderno de Ocorrências na Princesa FM, e relatou que faltou oxigênio na Unidade de Pronto Atendimento – UPA, do Alto São Francisco, e foi preciso recorrer a algumas pessoas, por exemplo, aos familiares de Enock(In memorian) que tinham alguns cilindros e emprestaram.

O Secretário Carlos Júnior falou que a falta de oxigênio se deu com o crescente número de pessoas que foram e são atendidas na UPA, e precisam de oxigênio, principalmente pessoas com patologias e até mesmo com covid-19. OU seja, desde janeiro a cidade do Assú teve um crescimento considerável nos casos de COVID e a gestão incompetente de Gustavo Soares não soube sequer se preparar para algo que só tende a piorar, já que a gestão só se preocupou muito tarde com as medidas restritivas.

Carlos ainda informou que a empresa, estará enviando o caminhão para Assú, e deveria chegar na parte da tarde de hoje, e enquanto isso, o prefeito Gustavo e o deputado George fazem politicagem com a sala de vacina, que não servirá de nada para alguém que está com complicações e precisa de oxigênio.

Pra fazer a politicagem “sebosa” tão peculiar a oligarquia Soares, os irmãos Gustavo e George são bem rápidos, mas falta coragem pra se pronunciarem hoje cedo e informar a população da falta de respeito da gestão com o povo, já que deixaram faltar oxigênios.

E até o momento da publicação da matéria, nada no instagram da Prefeitura informando se a falta de oxigênio já foi resolvida.

Novo decreto: De 20 a 31 de março só serviços essenciais poderão funcionar no RN

O novo decreto com medidas restritivas para conter a covid-19 no Rio Grande do Norte prevê fechamento de tudo que não for considerado serviço essencial a partir do dia 20 até o dia 31 de março.

Alguns detalhes ainda estão sendo fechados, mas a maior parte do decreto seguirá a linha do que foi recomendado pelo Comitê de Especialistas da Sesap-RN para o Enfrentamento da Pandemia de Covid-19.

De acordo com a recomendação do Comitê, são considerados como serviços essenciais:
– Oficinas de veículos automotores, máquinas e equipamentos agrícolas; Locadoras de máquinas e equipamentos agrícolas;

– Lojas de suprimentos agrícolas

– Podólogos

– Serviços de saúde

– Serviços de segurança privada

– Supermercados; Mercados; Hipermercados; Quitandas; Açougues; Peixarias; Padarias; Distribuições de alimentos;

– Serviços de Delivery;

– Loja de autopeças; Postos de combustíveis;

– Farmácias, drogarias e similares; Lojas de artigos médicos e ortopédicos;

– Hotéis, flats, pousadas e acomodações similares;

– Lojas de material de construção; Locadoras de máquinas e equipamentos para construção;

– Petshops, hospitais/clínicas de veterinária;

– Locadoras de máquinas, equipamentos e bens tangíveis;

– Atividades de agências de emprego; Atividades de agências de trabalho temporário;

– Lojas de reparos de computadores e bens pessoais e domésticos;

– Lavanderias;

– Serviços funerários;

– Atividades financeiras e de seguros;

– Imobiliária com serviços de vendas e/ou locação imóveis;

– Transportes Públicos coletivos ou não (ônibus, trens, táxis, transportes por aplicativos e outros);

– Correios e serviços de entregas; Transportadoras;

– Imprensa.

* Tribuna do Norte – Mais informações em instantes

Jacó Jácome assume mandato de deputado estadual

O presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB), deu posse a Jacó Jácome (PSD) para cumprir o seu segundo mandato como deputado estadual. A solenidade bastante restrita, foi realizada no gabinete da presidência da Casa nesta quarta-feira (17), e contou apenas com a presença dos familiares de Jacó, em respeito aos protocolos de biossegurança.

“Vamos com muita maturidade e experiência continuar com a mesma dedicação a lutar pelas pautas a favor da vida, da saúde e da qualificação profissional. São bandeiras que adotamos no primeiro mandato”, disse Jacó minutos após assumir o mandato.

O deputado fez questão de enfatizar ainda a sua preocupação com o atual momento vivenciado pela sociedade em meio a pandemia e anunciou que destinará todas as emendas que tiver direito para o enfrentamento ao coronavírus. Segundo Jacó, “o momento não é festivo em respeito as vidas perdidas para a COVID-19, é hora de trabalhar e honrar o povo do RN”.

Jacó foi o 21° mais votado para deputado estadual nas eleições de 2018, quando obteve 26.864 votos. Este será o seu segundo mandato, após ter feito parte da Legislatura 2015-2018. O parlamentar natalense nasceu em 29 de janeiro de 1992, é Bacharel em Direito, acadêmico de Medicina e ex-vereador da capital potiguar (2013-2014).

Jacó Jácome assume a vaga de Sandro Pimentel (PSOL) após a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A mudança acontece depois que o TSE determinou a retotalização dos quoeficientes eleitorais e partidários sem computar os 19.158 votos obtidos por Sandro Pimentel, implicando na eleição de Jacó Jácome.

Estiveram presentes na solenidade a esposa de Jacó, Marianna Procópio Jácome, o ex-deputado federal e ex-deputado estadual Antônio Jácome, pai de Jacó, e o vereador de Natal, Eriko Jácome. O diretor-geral da Assembleia Legislativa, Fernando Rezende, e a diretora administrativa e financeira da Casa, Dulcinea Brandão.

Nelter solicita que governo inclua medicamento de alto custo na lista do SUS

Durante o seu pronunciamento na sessão remota por videoconferência da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, desta quarta-feira (17), o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) sugeriu ao governo do RN incluir na lista de medicamentos de alto custo do SUS o Tocilizumabe. O parlamentar citou que há relatos de que a substância vem sendo utilizada com sucesso nos pacientes graves da covid-19.

“Uma ampola desse remédio custa cerca de dois mil reais e foram receitadas a um paciente de Assú quatro ampolas e encaminhei a solicitação à Secretaria de Saúde do RN mas a Sesap informou que está prescrito no tratamento da COVID-19, então faço um apelo para que seja incluído para quando o paciente for medicado, ter disponível. Essa medicação está dando certo no tratamento, inclusive um amigo nosso adquiriu com recursos próprios e salvou a vida de um familiar”, sugeriu o deputado.

Nelter também externou sua preocupação com o fato dos comitês científicos não chegarem a um consenso entre si: “O Estado tem o seu comitê, a prefeitura outro e o governo federal, então vejo essa briga política, mas temos que escutar os médicos”, afirmou o deputado.

Outro destaque do seu pronunciamento foi a sugestão ao governo do RN para que a exemplo de outros Estados, como o Maranhão, adote o auxílio emergencial para algumas categorias mais penalizadas. “O governo lá implantou auxílio de R$ 600 para o setor cultural, segmento dos garçons e outros muito atingidos, então peço à governadora para implantar aqui também”, disse Nelter. Ao final, comunicou destinação de emenda de R$ 50 mil do seu mandato para ser destinada à Associação Cultural Amigos do Camaleão, em Assú, a fim de incentivar o esporte.

Líderes comentam consequências da pandemia e defendem retomada da economia

O deputado estadual Hermano Morais (PSB) comentou, no horário destinado às lideranças, na sessão desta quarta-feira (17), na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o quadro de cada vez mais gravidade da pandemia em todo o Brasil e no Estado. Ele se solidarizou com a procuradora do Estado, Magna Letícia e sua família, pela perda precoce do filho, Lucas Viegas, 31 anos, vítima da COVID-19.

“Essa situação só será dominada com a oferta de vacina para todos”, disse Hermano, citando o Brasil como o epicentro da crise sanitária. O parlamentar apelou à população para o uso de máscara e dos protocolos. Hermano encerrou seu pronunciamento informando sobre uma notícia menos dolorosa, que foi o aumento na arrecadação do Estado, possível através do REFIS, o Programa Especial de Regularização Tributária que permite arrecadar tributos represados.

O deputado George Soares (PL) seguiu falando da gravidade da pandemia no Rio Grande do Norte e se solidarizando com famílias do Vale do Açu que perderam entes queridos nos últimos dias. George defendeu em seu discurso que o comércio permaneça funcionando para evitar a crise financeira, e que as academias também continuem funcionando.

“Faço um apelo ao Comitê Científico e ontem entrei em contato com a governadora Fátima, que foi simpática ao meu apelo; mas ela tem tido muita responsabilidade para assinar os decretos do Estado”, afirmou George. O deputado ainda pediu segurança para os ciclistas que durante a pandemia se multiplicaram pelas ruas, principalmente para os que trafegam na Via Costeira, Avenida Roberto Freire e Rota do Sol.

O deputado Francisco do PT fez um apelo aos colegas de oposição, deputados Tomba Farias (PSDB), José Dias (PSDB) e Gustavo Carvalho (PSDB), para que dispensem a tramitação do projeto do Governo que prorroga somente até o final do ano letivo agora de 2021, o contrato temporário de professores terceirizados que estão para vencer. “Já fizemos essa prorrogação em 2019”, disse o parlamentar, justificando que, com o final dos contratos, o Governo terá que suspender os contratos. De acordo com Francisco do PT, sem os professores terceirizados, as aulas na rede pública, que acontecem de forma remota, serão prejudicadas. “Quarenta desses professores temporários terão os contratos encerrados já agora no final do mês, e outros ao longo do ano”, argumentou Francisco.

Leia maisLíderes comentam consequências da pandemia e defendem retomada da economia

Após prometer ‘medidas adicionais’, Doria decide esperar efeitos de fase emergencial contra Covid-19

O governador de São Paulo, João Doria, durante cerimônia de início da imunização contra coronavírus no estado Foto: Edilson Dantas / Agência O Globo

Após prometer ‘medidas adicionais’ contra a Covid-19 diante de um quadro que o governador João Doria (PSDB) classificou como gravíssimo e dramático, o governo de São Paulo decidiu aguardar os efeitos da fase emergencial em vigor desde segunda-feira antes de adotar novas medidas para conter o aumento dos casos de coronavírus no estado.

Mais cedo, durante entrega de 2 milhões de doses da CoronaVac no Instituto Butantan, Doria afirmou na manhã desta quarta-feira que o estado deverá adicionar “medidas adicionais” na tentativa de conter o ritmo de transmissão do coronavírus em meio a um crescimento contínuo no número de casos e internações. O governador afirmou que o quadro é “gravíssimo e dramático” tanto no estado quanto no restante do país e que novas medidas serão adotadas.

— Hoje, o Centro de Contingência tem uma reunião pela manhã e na entrevista coletiva anunciaremos quais serão as medidas adicionais que certamente terão que ser adotadas — afirmou.

Após a reunião, durante entrevista coletiva, contudo, não foram adicionadas novas medidas. Segundo o coordenador do Centro de Contingência, Paulo Menezes, é preciso aguardar de uma a duas semanas para compreender os efeitos da fase emergencial adotada a partir de segunda-feira com restrição ao funcionamento de comércios e à circulação de pessoas.

— Semana passada já foram tomadas medidas muito firmes,  que impactam na vida da população de São Paulo. Precisamos de algum tempo para poder observar o impacto dessas medidas. É preciso que nos tenhamos medidas que de fato sejam efetivas — afirmou Paulo Menezes.

Leia maisApós prometer ‘medidas adicionais’, Doria decide esperar efeitos de fase emergencial contra Covid-19

Prefeitos propõem mudanças no toque de recolher e Governo prepara novo decreto

O Governo do Estado vai analisar as propostas apresentadas pelos prefeitos do Rio Grande do Norte antes de editar um novo decreto com medidas restritivas para barrar a propagação do coronavírus. A decisão foi acertada durante reunião virtual, na tarde desta terça-feira (16), que durou duas horas e meia. Alteração no horário de vigência do toque de recolher é uma das sugestões apresentadas.

Os dados apresentados pelo Comitê Científico do Estado mostram que os indicadores epidemiológicos encontram-se num patamar preocupante, que projeta dias piores em meio a um cenário já grave no Brasil, com mais de 1.200 mortes por dia no Brasil, e o registro recorde de quase 2.800 mortes hoje.  Além da falta de leitos para atendimento aos pacientes Covid, um novo problema está surgindo no interior do Estado: os prefeitos relataram dificuldades para renovar os estoques estratégicos de oxigênio.

A reunião foi aberta pela governadora Fátima Bezerra, que destacou o diálogo como uma característica de seu governo e defendeu a união de todos no enfrentamento da pandemia. “Sempre foi assim. Escutamos a voz da ciência e escutamos a voz da sociedade. Estamos aqui para colher as sugestões dos municípios, bem como dos diversos segmentos, para trabalharmos na perspectiva de chegar a um posicionamento conjunto. O quadro é muito dramático, não só aqui, mas Brasil afora”, afirmou Fátima. Em função de outra reunião – com o Fórum de Governadores – ela transferiu a condução dos trabalhos para o vice-governador Antenor Roberto e para o coordenador do Pacto pela Vida, Fernando Mineiro.

Fonte: Portal Grande Ponto

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: