Aécio Neves escolhe ficar calado em depoimento à Polícia Federal

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) preferiu ficar calado durante um depoimento à Polícia Federal, realizado no dia 22 de julho em Brasília. Aécio alegou que não teve acesso a outras oitivas já realizadas no mesmo inquérito, e se dispôs a “prestar os devidos esclarecimentos” após ter acesso a elas.

A investigação é baseada na delação premiada de executivos da Odebrecht, que afirmaram que Aécio teria intermediado o pagamento de R$ 7 milhões para a campanha do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG) ao governo de Minas Gerais, em 2010.

Também fazem parte do inquérito o próprio Anastasia, Oswaldo Borges da Costa, assessor de Aécio, e Paulo Vasconcelos do Rosário Neto, marqueteiro dos dois tucanos.

O relator do inquérito, ministro Gilmar Mendes, determinou que a investigação seja prorrogada por 90 dias, em decisão do dia 10 de agosto. Entre as diligências que faltam ser realizadas está o depoimento de Anastasia. As informações são de O Globo.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: