Alckmin diz que FH e Tasso são nomes do PSDB para eleição indireta

Um dia depois de uma reunião com caciques do PSDB no apartamento do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse nesta sexta-feira que os nomes do partido para uma eleição indireta à Presidência são FH e o presidente interino do PSDB, senador Tasso Jereissati. Alckmin descartou que ele seja uma opção para o mandato tampão até 2018 no caso de uma saída do presidente Michel Temer.

— Quero antecipar que nesta hipótese eu não sou candidato a nenhuma eleição indireta e os dois grandes nomes são o presidente Fernando Henrique e o Tasso Jereissati — afirmou o governador.

Ontem FH, Alckmin, Tasso e o prefeito de São Paulo, João Doria, estiveram reunidos por quase três horas para discutir os cenários para um desfecho da crise política. Tasso deixou a reunião defendendo que o PSDB não tomará nenhuma decisão sobre deixar o governo Temer até o julgamento da chapa Dilma/Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral previsto para 6 de junho.

— Foi uma reunião de avaliação. O Tasso está conduzindo o partido com sabedoria e muita serenidade e ouvindo a todos. O nosso compromisso é com o Brasil – disse Alckmin nesta manhã.

ARTICULAÇÃO PAULISTA

Uma articulação para viabilizar o nome do ex-presidente Fernando Henrique como candidatura de consenso entre os grandes partidos no caso de uma substituição de Temer começou a ser feita pelo PSDB de São Paulo esta semana. A movimentação conta com o apoio das principais lideranças tucanas no estado, como Alckmin e Doria. A sondagem sobre o nome de FH começou a ser feita no Congresso e junto ao setor econômico (empresários).

Os tucanos dizem que o ex-presidente não se manifestou ainda se estaria disposto a assumir a missão. O que o PSDB de São Paulo tenta construir é um movimento de aclamação a FH.

Um consenso em torno de uma candidatura do líder tucano passaria também por um aval do PT. Mesmo que oficialmente a sigla não votasse no tucano numa eleição indireta, o que os tucanos acreditam que possam conseguir é a garantia dos petistas de que eles não atrapalhariam a articulação.

A declaração de Alckmin nesta manhã colocando em público o ex-presidente como uma alternativa para o mandato tampão corrobora essa articulação. Na quarta-feira passada, o presidente estadual do PSDB em São Paulo, deputado Pedro Tobias, divulgou um vídeo numa rede social pedindo que os brasileiros ajudem a “convencer” FH.

— Vamos tentar convencer ele (sic) a aceitar essa missão complicada e difícil para salvar o Brasil — regou Tobias.

Doria e Alckmin não vêem com bons olhos uma candidatura de Tasso na eleição indireta porque temem que o senador, se bem-sucedido no mandato tampão, torne-se o candidato natural do PSDB para 2018. O prefeito e o governador são hoje os únicos tucanos que continuam no páreo pela vaga de presidenciável do PSDB, depois da derrocada política do senador Aécio Neves.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: