Em plena crise, parlamentares já fizeram 76 viagens a 15 países em missões oficiais

As crises política e econômica que assolam o país parecem não ter afetado alguns deputados federais, que separaram um tempo precioso na agenda para participarem de missões oficiais da Casa. Até maio deste ano, os parlamentares realizaram 116 viagens. Conforme levantamento realizado pelo Aparte, com dados disponíveis no site da Câmara Federal, 76 dessas missões, pagas com dinheiro público, foram ao exterior. Eles tiveram a oportunidade de conhecer 15 países e quatro continentes.

O destino mais visitado pelos políticos é Nova York, nos Estados Unidos, com 15 viagens. Na cidade, ocorrem diversas reuniões de órgãos que compõem a Organização das Nações Unidas (ONU). Os deputados costumam ficar cerca de sete dias por lá.

Logo em seguida no ranking está Beirute, capital do Líbano. Foram 12 desembarques de deputados em missão oficial na cidade. O motivo do embarque foi a participação em reuniões com o presidente do país, Michel Aoun, além de outras autoridades políticas e religiosas.

Um destino sempre visitado pelos parlamentares é a China. Foram nove viagens ao país mais populoso do mundo, sendo oito com o intuito de conhecer a indústria da exploração dos jogos de fortuna ou azar. Já outras sete viagens foram a Bruxelas, na Bélgica, para conhecer uma feira internacional de pescados.

No Brasil, 24 destinos foram visitados. A grande maioria das justificativas das missões fala de participação em congressos e simpósios, discussões sobre as relações bilaterais, além de reuniões com governos e empresários.

Dos 513 deputados federais, 80 deles participarem dessas missões somente neste ano. Mas o campeão de milhagens é Valtenir Pereira (PMDB-MT). O político realizou 18. Sendo 17 dessas missões em território nacional, com o objetivo de participar de seminários para discutir a regulamentação das funções de agentes comunitários de saúde. Já em fevereiro, ele desembarcou na França para participar de visita à Assembleia Nacional francesa e à sede do Parlamento Europeu, nas cidades de Paris e Estrasburgo. Em seguida na lista aparece o deputado Paulão (PT-AL) com quatro viagens, e depois Cristiane Brasil (PTB-RJ) e Raimundo Gomes de Matos (PSDB-CE) com três, cada.

Para viagens internacionais, o valor da diária paga pela Câmara aos deputados – que cobre custos com hospedagem, transporte local e alimentação – é de US$ 391 para países da América do Sul e de US$ 428 para outras nações. Nos destinos nacionais, a quantia da diária é de R$ 524. Além disso, por tratar-se de missão oficial, os políticos quando estão em viagem oficial para representar a Câmara, têm as faltas às sessões abonadas. Por isso, não têm um centavo sequer descontado do salário, que é de R$ 33,7 mil. Outra vantagem dos parlamentares é que se eles quiserem fazer um “upgrade” na passagem área e ir de primeira classe, podem usar o dinheiro disponível da cota parlamentar. (Fransciny Alves) O Tempo

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: