fbpx

Empresa suspeita de corrupção no governo de Gustavo Soares ganhou contrato de R$ 1,4 mi

Ministério Público investiga denúncias de corrupção que rondam governo do prefeito Gustavo Soares

O prefeito do Assú Gustavo Soares, que reuniu no seu secretariado um grupo de réus e acusados de crime de corrupção contra a administração pública, poderá ser denunciado pelo Ministério Público por crime de improbidade administrativa, após alugar um prédio de propriedade Luciana Soares, nora do ex-prefeito José Maria, para funcionamento de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) fantasma por R$ 7 mil, no qual funcionava uma barbearia e um escritório particular.

A descoberta da manobra para beneficiar aliado político do prefeito e do seu irmão, deputado estadual George Soares, foi feita pelo Ministério Público que determinou a imediata suspensão do contrato que afronta os princípios da legalidade e moralidade administrativa, caraterizando crime de improbidade administrativa por auferir vantagem pessoal sem nenhum interesse público ou comunitário que atenda  a população.

Em meio ao tiroteio de acusações de jogar dinheiro público no ralo, A Prefeitura do Assú comandada pelo prefeito Gustavo Soares, foi denunciada ao Ministério Público pelo empreiteiro Francisco Epaminondas por esquema de corrupção na Secretaria de Obras que usa a empresa CONSTRUCAO E SERVICOS ALFA para pagar por serviços de obras ou reformas realizados pela empresa do denunciante, sem contrato de terceirização.

O prefeito Gustavo Soares, segundo dados do Portal da Transparência, contratou no ano passado, a empresa CONSTRUCAO E SERVICOS ALFA, de propriedade de DANIEL ROCHA DE ANDRADE e SKORZENY ALLISON FARIAS FERREIRA DE BRITO, que tem DOUGLAS como gerente de negócios, denunciada por suspeita de esquema de corrupção no governo municipal pela bagatela de R$ 678.423,56 ou seja, mais de meio milhão de reais.

Ja este ano, o governo do prefeito Gustavo Soares, voltou a contratar a CONSTRUCAO E SERVICOS ALFA por R$ 655.127,60 para prestar serviços a Prefeitura do Assú. No total, a empresa suspeita de pagar por obras e serviços executados por terceiros, vai abocanhar mais de R$ 1,4 milhões.

NOTA DA REDAÇÃO: O Blog do VT errou. A empresa ALFA OMEGA CONSTRUCOES LTDA – ME, de CAIO VINICIUS BEZERRA, foi citada por engano na matéria anterior e não tem qualquer envolvimento nesse esquema fraudulento e criminoso. Esta matéria foi atualizada para reparar o engano cometido.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: