Justiça ordena reintegração de posse de fazenda do senador Ciro Nogueira

A Justiça do Piauí determinou, nesta quinta-feira, a reintegração de posse das terras do senador Ciro Nogueira (PP-PI), invadida por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), nesta terça-feira. O mandado de reintegração foi expedido pela juíza, Maria das Neves Ramalho, da 5ª Vara Civil de Teresina, que determinou que a ordem seja cumprida em 72 horas.

A magistrada decidiu que as terras da “Fazenda Junco” devem ser desocupadas, e autorizou o uso das forças policiais, caso sejam necessárias. Maria das Neves ainda determinou a citação dos invasores para que eles respondam à ação no prazo de 15 dias.

O MST alega que as manifestações, desta terça, foram realizadas em terrenos ligados a pessoas que têm relação com esquemas de corrupção.

“Os latifundiários que possuem estas áreas são acusados, no cumprimento de função pública, de atos de corrupção, como lavagem de dinheiro, favorecimento ilícito, estelionato e outros”.

Na Fazenda Junco, em Teresina, cerca de mil pessoas participaram da invasão. Segundo o movimento, a área é improdutiva. O MST reivindica que ela seja desapropriada e destinada à reforma agrária. Nogueira foi denunciado pela PGR por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O dono da UTC, Ricardo Pessoa, afirmou em delação premiada que entregou R$ 1,5 milhão em dinheiro vivo a um assessor do senador em 2013.

Além da fazenda do senador do PP, o MST invadiu as fazendas do coronel João Baptista Lima, amigo do presidente Michel Temer, em Duartina (SP), do ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, em Piraí (RJ), e do ministro da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento, Blairo Maggi, em Rondonópolia (MT).

O MST ainda não se pronunciou sobre o mandado de reintegração de posse.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: