Maioria do PSD deseja aliança com Alckmin, diz Kassab

Lua de mel: o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Gilberto Kassab na inauguração do Complexo Prates

O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovação e Telecomunicações, Gilberto Kassab, presidente licenciado do PSD, sinalizou como provável o apoio do seu partido à candidatura do ex-governador paulista Geraldo Alckmin (PSDB). Segundo Kassab, as consultas internas no partido deverão ser concluídas em julho e só em seguida uma posição será definida.

“O meu sentimento é que a ampla maioria do partido deseja a aliança com o (ex) governador Geraldo Alckmin“, disse o ministro.”Vamos concluir no início de julho essas consultas para, aí sim, caminharmos para um posicionamento”, complementou.

Questionado se há uma preocupação do partido com a viabilidade da candidatura de Alckmin, que está distante das primeiros colocados nas pesquisas de intenção de voto, Kassab minimizou a situação.

“Não tenho preocupação com pesquisa. A cada eleição no Brasil temos diversos casos como este, em que um candidato que não estava numa posição favorável num primeiro momento, depois, com o início da campanha, houve crescimento e a vitória aconteceu”, rebateu Kassab, citando seu próprio exemplo na disputa pela prefeitura de São Paulo, em 2008, quando tinha apenas 3% da preferência do eleitorado durante a pré-campanha. Estadão Conteúdo

O ministro se reuniu nesta segunda-feira, 18, com a direção da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), quando fez um balanço da sua gestão à frente da pasta da Ciência, Tecnologia, Inovação e Telecomunicações, além de análises sobre a conjuntura das eleições.

No encontro, os membros da associação incentivaram a formação de uma aliança de centro – preferencialmente com Alckmin – evitando um potencial segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT), nomes de direita e esquerda, respectivamente.

“Bolsonaro e Ciro Gomes são propostas radicais que não atendem o que precisa o Brasil”, afirmou Kassab durante a reunião. Para fazer frente ao avanço dessas candidaturas, o ministro defendeu a necessidade de composição de coligações nos Estados com o objetivo de fortalecer uma candidatura de um postulante de centro. “Tempo de TV, participação ativa nas redes sociais e composições em todos os principais Estados. Não conseguiremos ser bem sucedidos sem isso”, apontou.

Kassab ainda citou como exemplo o apoio do PSD a João Doria (PSDB) na disputa pelo governo paulista, que também terá suporte do DEM. “Em 15 meses de prefeitura ele (Doria) mostrou que tem liderança e capacidade administrativa. Mas não é fácil ganhar uma eleição”, afirmou, referindo-se à necessidade de formar a coligação entre os partidos.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: