Médico da linha de frente reforça carência na saúde e enfatiza isolamento social

A Comissão de Enfrentamento ao Novo Coronavírus da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte voltou a se reunir por videoconferência na tarde desta quarta-feira (15). Dessa vez para ouvir o depoimento do médico clínico Geral, Alderley Torres de Medeiros, que atua no Hospital dos Pescadores e na linha de frente do atendimento no Hospital Municipal de Natal. O especialista revelou a estrutura precária existente atualmente, inclusive no interior do Estado, e fez um apelo para a população permanecer em casa.

“O que nos preocupa é a questão da urgência, o agora. Estamos em uma situação que, se chegarem pacientes no Hospital dos Pescadores hoje, nesse momento, não temos estrutura para intubação. O único respirador disponível está inoperante, o fluxo de oxigênio não permite que consigamos fazer ventilação mecânica aos pacientes”, disse médico plantonista e clínico geral.

O médico fez questão de acrescentar em seguida que, se há falta de estrutura no Hospital dos Pescadores, no Hospital Municipal de Natal estão sendo realizadas obras para que a capacidade de atendimento seja ampliada, inclusive com novos equipamentos de respiração.

Questionado pelo deputado Francisco do PT sobre a realidade da estrutura de saúde pública tanto na capital como nas cidades do interior do Estado, o médico enfatizou que, mesmo com todas as iniciativas para ampliar leitos de UTIs e na compra de equipamentos, não há como vencer o Coronavírus sem o apoio da população.

“Nós recomendamos que os pacientes fiquem em casa. Essa ideia de que há medicação é tão criminosa quanto manda-lo para rua. Não é verdade que ele ficará bom com o medicamento. O poder de infecção do vírus é muito alto. Mesmo se melhorarmos a estrutura, se a população não colaborar, não teremos como resolver. Por melhor que possamos fazer”, alertou.

Segundo Alderley, “a estrutura tem limitações importantes e históricas. As unidades de saúde no interior têm condições precárias de atendimento. Nós sabemos disso. Não há como combater o novo Coronavírus com a estrutura que temos no interior. Não são suficientes para atender as patologias historicamente registradas, imagine em situação como essa. O SUS precisa ser fortalecido, precisa de apoio”.

Presidente da Comissão, o deputado estadual Kelps Lima (SDD) voltou a demonstrar preocupação com os investimentos em hospitais de campanha. “Não há respirador para atender os natalenses, mas a Prefeitura está investindo R$ 30 milhões em hospital de campanha de Natal”, disse.
O parlamentar sugeriu que o prefeito Álvaro Dias (PSDB) e a governadora Fátima Bezerra (PT) se unam para viabilizar um único hospital de campanha na cidade, com o objetivo de otimizar recursos e ações. “Momento não é para disputa política, mas de união. Se recursos públicos são poucos, desperdício nesse momento é inaceitável. Um respirador pode salvar a vida de muitas pessoas. Não é admissível desperdício de nenhum real neste momento”, disse Kelps Lima.

O deputado Tomba Farias (PSDB) disse que o momento atual precisa servir de “lição de vida, para que a gente possa se reunir novamente na Assembleia Legislativa e termos consciência para tomarmos decisões que possam melhorar efetivamente a saúde do RN”. O parlamentar parabenizou ainda o Sebrae, Fiern, Fecomércio, Faern, CTGás, Senai e a todos os empresários “que não estão medindo esforços para ajudar nesse momento trágico, doando equipamentos para hospitais”.

Membro da comissão, o deputado Getúlio Rego (DEM) – que também é médico – se pronunciou em defesa da valorização não apenas desta categoria, como também de todos os profissionais da área da saúde. “São sempre esquecidos nos debates por melhorias salariais, estão sempre ficando muito atrás diante da importância que possuem para um momento como este que o país está enfrentando”, disse. Ainda de acordo com o Democrata, “o setor já é colapsado diariamente, com testemunhos de acontecimentos graves, mas o momento é de união para buscarmos soluções”.

O deputado Sandro Pimentel (Psol) ressaltou a importância do depoimento do médico para os trabalhos da comissão, que tem se reunido desde aprovação do decreto de calamidade pública no Estado. Em seguida, reforçou o posicionamento adotado por Alderley em defesa do SUS. “Precisamos fortalecer o SUS, estado não pode ser reduzido. Hoje estamos vendo a importância do SUS, ainda longe do que deveria ser, mas que tem salvado muitas vidas”, disse.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: