fbpx

Ministério Público promove debate sobre violência de gênero

Nesta sexta-feira (6), a Procuradoria-Geral de Justiça promoveu o II Evento Alusivo ao Dia da Mulher: as faces da violência de gênero. O evento contou com a presença do coordenador do Centro de Estudo e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), Marcos Aurélio de Freitas Barros; da procuradora-geral de Justiça adjunta, Elaine Cardoso de Matos Novais Teixeira, que realizaram abertura do evento, além da coordenadora do Núcleo de Apoio à Mulher Vítima de Violência Doméstica (Namvid), Érica Verícia Canuto de Oliveira Veras. Colaboraram com o debate ainda a equipe multidisciplinar do Namvid, composta pela assistente social Maria Ildérica de Castro Souza e a psicóloga Jackeline Leite da Costa Morais.

Elaine Cardoso abriu o evento destacando a importância da discussão sobre a violência de gênero. “O respeito ao ser humano deve ser preponderante. É preciso discutirmos a questão de gênero e a violência nesse contexto, para, assim, conseguirmos avançar para um mundo mais igualitário”.

Érica Canuto expôs as faces que a violência de gênero assumem, explicando suas origens e como o domínio masculino se mantém na sociedade. “A expectativa do que é ser homem e mulher é imposta desde nosso nascimento. Gênero é uma imposição cultural, a sociedade afirma aquilo que devemos fazer enquanto mulher. A violência de gênero, principalmente contra a mulher, começa no momento em que não atingimos aquilo que é esperado pela sociedade. No momento em que não atingimos as expectativas, recorre-se à violência de gênero para que nossas atitudes se adéquem”.

A psicóloga Jackeline Leite da Costa Morais abordou as consequências da violência psicológica que muitas vezes é subestimada. “São feridas que não vemos. Nem sempre é possível identificar o sofrimento do outro”, afirmou, falando também sobre a culpa que as mulheres sentem e muitas vezes assumem pelos problemas no casamento, o que também dificulta a procura por ajuda.

A palestra contou com diversos setores da sociedade, estudantes universitários, membros do MPRN, Guarda Civil, jornalistas, representantes da Polícia Militar, da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, das delegadas das DEAMs, do juiz Rosivaldo Toscano, do 3º Juizado, da equipe da Casa Abrigo, do ITEP e outros órgãos da rede, além de professores e profissionais de diversas áreas. O evento deu continuidade a uma série de ações promovidas durante o mês de março, referentes ao mês da mulher, como foi o caso do evento realizado anteriormente, o qual tratava sobre empoderamento feminino.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: