PARTE III: Os malefícios da oligarquia e a consequência do abandono e ausência do prefeito Gustavo em Assú

O filho de Ronaldo Soares, Gustavo Montenegro Soares se elege prefeito do Assú e assume em 2017 seu primeiro mandato, em que prometeu céus e terra ao povo, e garantiu que cuidaria do município, e ao contrário de tudo que pregou, ele continuou sua vida profissional, com isso, abandonou a gestão da cidade, por luxos em academias e restaurantes caros na capital do estado.

Com a ausência e deixando a gestão pra sua família cuidar, a cidade do Assú se viu abandonada pelo Doutor e encurralada pela tirania de Ronaldo e George Soares, que mandavam e desmandavam a seu “bel prazer”.

O descaso foi tão grande, que faltava merenda nas escolas, medicamentos e profissionais nas unidades de saúde. Além disso, não obteve reconhecimento com os servidores municipais, pois não havia melhorias nas escolas e nas ruas, e o mais importante, faltava respeito com o povo do Assú que o elegeu prefeito. E a cada dia, aumentavam as críticas na cidade, e sem nada para fazer na capital, Gustavo dedicava tempo nas redes sociais para bater boca
com a população que não tinha os serviços básicos e reivindicavam seus direitos.

O bate boca de Gustavo com as pessoas aumentava e com isso a rejeição do povo também. Então, chega o novo corona vírus, e em meio ao caos que todo o mundo vive, o prefeito tira 30 dias de férias, e deixa a cidade sem UTI e desaparece como se fosse algo normal. Além de dar férias a secretária municipal de saúde na época, Viviane Fonseca, a mesma que ganhou de presente do deputado George, a cessão para trabalhar em Natal, sendo ela do município do Assú.

Depois dos 30 dias de descanso, Gustavo retorna, e assume que não será candidato a reeleição porque não é político. Iria preferir cuidar da sua profissão. Então, seu grupo liderado pelo deputado George Soares e encurralado por não ter um nome pra disputar com o ex prefeito Ivan, fica desesperado e forçam a candidatura de Gustavo à reeleição, que não passa de fantoche, e é forçado a ser candidato e mentir mais uma vez pro povo do Assú.

A ausência de 04 anos do prefeito Gustavo, deixando a gestão sob o comando de Ronaldo e George, favorecendo a população uma perspectiva sem esperanças, triste e sofrida, porque até para obter o básico, as pessoas tinham que se humilhar e eram desrespeitadas diariamente, pela equipe que seguia à risca a ineficiência do prefeito ausente.

O aspecto da cidade é de abandono, com uma economia que enfraquece por falta de prioridades na gestão marcada pela ausência. E assim, a população perde muito já que o prefeito Gustavo ia a cidade apenas nas quintas – feiras, de um total de 1460 dias nos 04 anos, ele visitou Assú apenas 192 dias, mas recebeu integralmente o salário todos os meses.

Assú perdeu sua dignidade com o desrespeito do prefeito ausente Gustavo Soares, pela sua negligência e todo o abandono a que foi submetida pelo filho do jacaré, que só sabe proferir mentiras e o velho blabláblá de uma oligarquia que perdura há mais de 40 anos, sem nenhuma ação pro povo, favorecendo apenas seus familiares e agregados.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: