Polícia prende três suspeitos de matar a tiros o prefeito de Colniza (MT)

O prefeito de Colniza, Esvandir Antônio Mendes (PSB), assassinato a tiros em 15/12

Forças de Segurança Pública de Mato Grosso prenderam neste sábado (16) três homens suspeitos do assassinato do prefeito de Colniza, Esvandir Antônio Mendes (PSB). Conhecido como Vando, Mendes foi morto a tiros por volta das 18h de sexta-feira (15).

Segundo a Polícia Militar, ele foi perseguido por criminosos e assassinado após seu carro bater contra um muro. Os suspeitos, Zenilton Xavier de Almeida, Antônio Pereira Rodrigues Neto e Welisson Brito Silva, foram presos em uma estrada entre os municípios de Juruena e Castanheira. As prisões foram anunciadas pelo governador do Estado, Pedro Taques (PSDB).

Eles viajavam em um veículo Fiat Uno cinza quando foram parados por policiais do Garra (Grupo Armado de Resposta Rápida), a cerca de 20 km de Castanheira.

Dentro do automóvel em que os suspeitos viajavam, foram apreendidos R$ 60 mil, em dinheiro. Acredita-se que o montante seja referente ao pagamento pelo assassinato do prefeito.

Antônio Pereira Rodrigues Neto, morador de Colniza, é apontado como o mandante e também participou da execução do prefeito. Ele teria contratado os outros dois suspeitos no Pará. Segundo a polícia, as armas usadas no crime foram encontradas jogadas em um rio. O Corpo de Bombeiros foi acionado para retirá-las do local.

Ainda não há detalhes sobre o que teria motivado o crime.

Os suspeitos devem responder ainda pela tentativa de homicídio do secretário de Finanças do município, Admilson Ferreira dos Santos, 41, que acompanhava o prefeito. Segundo a polícia, o prefeito dirigia uma Toyota SW4 preta quando foi interceptado pelos criminosos em um veículo SUV, preto a cerca de sete quilômetros da entrada da cidade. Alvejado, Mendes ainda conseguiu dirigir, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no perímetro urbano da BR-174.

Outros dois disparos feriram o secretário na perna esquerda e nas costas. O estado de saúde de Ferreira é estável, segundo a polícia. A primeira-dama e o genro do prefeito, que também estavam no veículo, não sofreram ferimentos.

O CRIME

A caminhonete onde estavam os quatro foi perseguida por cerca de quinze quilômetros na rodovia BR 174. O prefeito, que dirigia o veículo e estaria voltando de Cuiabá, a 1.065 km de distância, tentou escapar da perseguição e dos tiros, mas foi alcançado na entrada de Colniza, bateu o veículo e não resistiu aos ferimentos provocados pelos tiros.

O carro parou em um posto de gasolina e fotos que circulam nas redes sociais mostram o veículo com várias marcas de tiros.

Vando tinha 61 anos e, além de político, era empresário do setor de transportes. Ele era proprietário de uma empresa de ônibus. Na administração anterior, era vice, mas assumiu o cargo de prefeito em abril de 2016 após a cassação do titular, Assis Raup (PMDB). Nas eleições de outubro de 2016 foi reeleito com 51,14% dos votos.

MASSACRE

Em abril deste ano, nove trabalhadores rurais foram assassinados em uma chacina ocorrida na gleba Taquaruçu do Norte, na área rural de Colniza. Os corpos apresentavam sinais de tortura. Em maio, o Ministério Público Estadual de Mato Grosso denunciou um madeireiro e outros quatro homens por terem planejado e executado a chacina.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: