fbpx

Quadro de medalhas: Brasil sobe após ouros e tem sua melhor campanha em Olimpíadas no exterior; veja

Ana Maracela Cunha conquista ouro inédito em águas abertas Foto: LEONHARD FOEGER / REUTERS

O ouro de Ana Marcela Cunha, na maratona aquática, garantiu uma marca histórica para o Brasil. Com 18 pódios já assegurados, a delegação verde-amarela alcançou seu melhor desempenho em uma Olimpíada fora de casa, superando os Jogos de Londres-2012 e Pequim-2008.

O dia vitorioso do Brasil começou no início da madrugada de terça-feira, com o bronze de Alison dos Santos nos 400m com barreiras na pista de atletismo, passou pelos ringues, com o bronze de Abner Teixeira no boxe, e pelo mar, com o ouro na vela com Martine Grael e Kahena Kunze. Pela manhã, Thiago Braz trouxe o bronze no salto com vara.

Além disso, o país garantiu mais duas medalhas — só não se sabe quais as cores. No futebol masculino, o Brasil se classificou para a final, e, no boxe feminino até 60kg, Beatriz Ferreira garantiu vaga na semifinal — na modalidade, todos os semifinalistas sobem ao pódio.

O Brasil tem agora 15 medalhas no quadro e outras três garantidas (além do futebol e de Beatriz Ferreira, Hebert Conceição também já está na semifinal do boxe). Faltam duas medalhas para ultrapassar a marca histórica da Rio-2016. E os brasileiros têm motivos para acreditar que isso será possível, com boas chances no vôlei, na canoagem individual, com Isaquias Queiroz, e no skate park masculino.

Nesta quarta-feira, o Brasil está na 14ª colocação. A liderança segue com China, seguida por Estados Unidos e Japão.

O Globo

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: