Lula critica ‘meninices’ de procuradores e ataca Janot

No dia em que o Ministério Público Federal (MPF) pediu sua prisão no processo que apura a compra de um apartamento tríplex, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, neste sábado, que não há provas contra ele. O ex-presidente reclamou das “meninices” dos procuradores da Lava-Jato e atacou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

– Hoje fiquei sabendo que o Ministério Público pediu minha prisão, minha condenação, não sei o porquê. Em qualquer lugar do mundo, para você ser condenado e até indiciado, tem que ter prova. Aqui no Brasil, se não tem prova tem que prender mesmo, porque não precisa mais de prova. Eu tenho uma história neste país – afirmou Lula, ao discursar no encerramento do 6º Congresso do PT, em Brasília. As informações são de O Globo.

Leia maisLula critica ‘meninices’ de procuradores e ataca Janot

Em Congresso, petistas defendem renúncia ou impeachment de Temer

No 6° Congresso Nacional do PT, a prisão de Rodrigo Rocha Loures, ex-deputado e ex-assessor do presidente Michel Temer, foi comentada nos corredores entre os petistas. Na visão de deputados que participam do evento, agora a situação de Temer é “insustentável”.

Enquanto uns defendem a renúncia do presidente, outros acreditam que o melhor caminho é o impeachment, destino que a correligionária Dilma Rousseff teve há menos de um ano. Em sua primeira entrevista após ser eleita presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann ecoou a posição dos deputados. Ela aproveitou para defender a realização das eleições diretas para que seja feita a sucessão de Temer, uma das principais bandeiras defendidas pelo partido durante o Congresso.

— Uma coisa a gente tem muito clara: esse governo não tem condições de governar, ele não está cuidando das pessoas, está cuidando de se defender. Ele tinha que sair para que a gente pudesse ter uma eleição direta — disse.

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) cita a apreensão de documentos do coronel João Baptista Lima Filho associados a Temer para afirmar que o presidente perdeu as condições de governar. As informações são de O Globo.

Leia maisEm Congresso, petistas defendem renúncia ou impeachment de Temer

Líder do PSDB no Senado diz que prisão de Loures não é problema entre partido e Temer

paulo_bauer

O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer (SC), considera que a prisão do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) é uma questão “absolutamente pessoal” e não deve estimular o movimento pelo desembarque do governo Michel Temer. “Não cabe ao PSDB tomar decisão política em relação ao País por conta de uma questão absolutamente pessoal do Rocha Loures”, disse o tucano.

Para Bauer, a prisão de Loures não causa nenhum problema entre o PSDB e o governo, pois a sigla não pode trabalhar com “hipóteses e especulações” sobre o envolvimento de Temer no caso. “O Rocha Loures tem uma questão que ele mesmo tem que resolver com a justiça”, declarou Bauer. “Acho que ele (Rocha Loures) é um cidadão que foi flagrado praticando algum ato que a Justiça precisa avaliar e julgar”, reforçou. As informações são de O Estado de São Paulo.

Leia maisLíder do PSDB no Senado diz que prisão de Loures não é problema entre partido e Temer

Senadora Gleisi Hoffmann é eleita presidente do PT

Brazilian senators and candidates for president of the Workers Party (PT) Lindbergh Farias (L) and Gleisi Hoffmann attend the PT's National Congress to elect the party's new president in Brasilia on June 1, 2017. / AFP PHOTO / EVARISTO SA

Sob forte intervenção do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT elegeu neste sábado (3) a senadora Gleisi Hoffmann (PR) para a presidência do partido.

Ministra do governo Dilma, Gleisi virou ré na Operação Lava Jato sob suspeita de ter recebido R$ 1 milhão do esquema de corrupção da Petrobras.

Na noite deste sábado, Lula procurou dirigentes de correntes minoritárias para que apoiassem a candidatura de Gleisi contra o senador Lindbergh Farias.

Nas conversas, Lula defendeu o nome de Gleisi como fundamental para a unidade partidária. As informações são da Folha de São Paulo.

PT aprova resolução contra eleições indiretas para a Presidência

PT aprovou neste sábado (3), durante a convenção do partido em Brasília, uma resolução orienta parlamentares da legenda a não vão participar de votação indireta para presidente da República caso Michel Temer seja destituído do mandato.

“O PT manifesta sua posição inegociável pelas Diretas Já e contra o golpe dentro do golpe”, diz a resolução. Segundo o texto, o “golpe dentro do golpe” seria eleger um presidente indiretamente, pelo Congresso, após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

“Enfrentamos quaisquer iniciativas das classes dominantes de impor eleições indiretas por meio de um Colégio Eleitoral”, diz o documento. A resolução também defende “antecipar as eleições para que a vontade livre e soberana do povo se manifeste nas urnas”.

Leia maisPT aprova resolução contra eleições indiretas para a Presidência

PT elege neste sábado presidente que comandará o partido nos próximos 2 anos

Cerimônia de abertura do 6º Congresso Nacional do PT, em Brasília (Foto: Fernanda Calgaro / G1)

O presidente que sucederá Rui Falcão e comandará o PT nos próximos dois anos será eleito neste sábado (3), último dia do congresso nacional do partido, em Brasília. Os cerca de 600 delegados do partido também vão aprovar um documento com propostas para o país.

São candidatos a presidente do PT a senadora Gleisi Hoffmann (PR), o senador Lindbergh Farias (RJ) e José de Oliveira, que representa um coletivo interno do partido. O atual presidente, Rui Falcão, permaneceu seis anos no posto.

Leia maisPT elege neste sábado presidente que comandará o partido nos próximos 2 anos

Favorita à presidência do PT, Gleisi Hoffmann diz que partido não fará autocrítica

Resultado de imagem para gleise 6 congresso do pt

Candidata do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à presidência do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR) afirmou, neste sábado, que o partido não fará autocrítica porque não quer fortalecer o discurso de seus adversários. Reunido em seu 6º Congresso, o PT era cobrado, inclusive por setores à esquerda do partido, a reconhecer supostos erros, como o envolvimento em escândalos de corrupção e alianças com partidos como o PMDB.

— Não somos organização religiosa, não fazemos profissão de culpa, tampouco nos açoitamos. Não vamos ficar enumerando os erros que achamos para que a burguesia e a direita explorem nossa imagem — disse Gleisi, ao discursar no congresso petista.

A senadora, que é líder do PT no Senado, reconheceu, no entanto, que o partido se afastou dos movimentos sociais enquanto comandou o governo federal:

— É certo que ficamos com relação mais institucional do que política.

Leia maisFavorita à presidência do PT, Gleisi Hoffmann diz que partido não fará autocrítica

Presidente do PT diz que é ‘um absurdo’ pedido de condenação de Lula

Resultado de imagem para rui falcao 6 congresso do pt

O presidente do PT, Rui Falcão, considerou neste sábado “um absurdo” o pedido feito pelo Ministério Público Federal para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumpra pena em regime fechado, caso seja condenado no processo que apura o suposto pagamento de propina, pela OAS, na compra de um apartamento tríplex em Guarujá (SP).

– É um absurdo continuar investindo contra alguém que não cometeu crime, não tem apartamento nenhum. Não tem prova para condená-lo e já estão prevendo forma de cumprimento de pena. Isso faz parte da campanha para tentar interditar a possibilidade de Lula ser candidato – disse Rui Falcão.

O líder da minoria, senador Humberto Costa (PT-PE), foi na mesma linha de Falcão, dizendo que não há provas contra Lula. Para ele, o pedido de prisão contra o ex-presidente faz parte de um roteiro “acertado” entre Ministério Público e o juiz Sergio Moro. Costa diz que resta saber se Moro terá “coragem” de mandar prender o líder maior do PT. As informações são de O Globo.

Leia maisPresidente do PT diz que é ‘um absurdo’ pedido de condenação de Lula

Temer: ‘Não saio daqui. Não saio mesmo’

CERCO - Temer diz que as acusações contra ele são fruto de açodamento do procurador-geral da República

O presidente reafirma que não pretende deixar o cargo, defende os assessores denunciados e suspeita de uma conspiração contra o governo

Por Policarpo Júnior –  Veja

Apesar do bombardeio da crise, o presidente Michel Temer aparenta serenidade. Na tarde de quinta-feira, ao receber VEJA em seu gabinete no Planalto, só demonstrou emoção em três momentos: ao falar da repercussão do escândalo em sua família, ao defender o coronel João Baptista Lima Filho e ao garantir que não deixará o cargo: “Não saio daqui. Não saio mesmo”. Encerrada a entrevista, fez duas revelações: tem medo de estar sendo grampeado e nunca se sentou na cadeira presidencial (“que Lula encomendou à Nasa”). Ele despacha na grande mesa redonda do gabinete.

O senhor pediu para suspender seu depoimento à polícia até que a perícia da gravação de sua conversa com o empresário Joesley Batista fosse concluída. Isso é fundamental, considerando que o senhor não negou o conteúdo da conversa? Processualmente é fundamental que se faça a perícia pela via oficial, o Instituto de Criminalística da Polícia Federal. A partir daí é que podem surgir as perguntas.

Leia maisTemer: ‘Não saio daqui. Não saio mesmo’

Brasil Rocha Loures, o homem da mala de R$ 500 mil, vai para a Papuda

Deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) chega em Guarulhos pelo Aeroporto de Cumbica, após ser citado na delação de executivos da JBS

O “homem da mala” vai para a Papuda, o famoso complexo penitenciário de Brasília. Preso neste sábado 3, Rodrigo Rocha Loures, ex-deputado federal (PMDB-PR) e ex-assessor especial do presidente Michel Temer, ocupa uma cela na Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal, para onde foi levado por volta de 6h da manhã, quando os agentes o prenderam em casa por ordem do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal.

A transferência para a Papuda deverá ocorrer na segunda-feira 5, segundo informação da revista Veja.

Loures foi flagrado em abril correndo por uma rua dos Jardins, em São Paulo, carregando uma mala estufada de propinas da JBS — dez mil notas de R$ 50, somando R$ 500 mil em dinheiro vivo.

Na semana passada, ele devolveu a mala com R$ 465 mil. Os restantes R$ 35 mil ele depositou dias depois em uma conta judicial.

Moreira Franco afirma que prisão de Rocha Loures não abala governo

Moreira Franco

O ministro da Secretaria​-Geral da Presidência, Moreira Franco, disse neste sábado, 3, que a prisão do deputado afastado Rodrigo Rocha Loures(PMDB-PR) não abala o governo Michel Temer. “É um erro judicializar a política e politizar o judicial. Cada um na sua esfera”, afirmou o ministro ao Estado.

“Nós estamos empenhados em trabalhar pela saúde das instituições”. Ao ser questionado sobre a ameaça do PSDB de deixar o governo, Moreira Franco disse que o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, já havia respondido à questão “com muita cultura e graça”.

A Polícia Federal informou que o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi preso na manhã deste sábado por determinação do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), na Operação Lava Jato. Rocha Loures é ex-assessor especial do presidente Michel Temer (PMDB), segundo informações de O Estado de São Paulo.

Empresas do senador Perrella fizeram transações suspeitas de R$ 21 milhões, diz Coaf

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) comunicou à Procuradoria-Geral da República a identificação de movimentações ‘suspeitas’, nos últimos três anos, que totalizaram R$ 21 milhões nas contas de empresas ligadas ao senador Zezé Perrella (PMDB-MG) – entre elas, a Tapera Participações, apontada como destinatária dos R$ 2 milhões da JBS ao senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Outra empresa mencionada é a Limeira Agropecuária, dona de um helicóptero apreendido com 445 kg de cocaína, em 2013.

O Coaf é um órgão ligado ao Ministério da Fazenda responsável por comunicar atividades financeiras que levantam suspeitas sobre lavagem de dinheiro aos órgãos de investigação. Saques e depósitos de mais de R$ 100 mil em espécie são sempre comunicados ao Conselho, mesmo que não levantem indícios de crimes.

Leia maisEmpresas do senador Perrella fizeram transações suspeitas de R$ 21 milhões, diz Coaf

Partidos e frentes convocam militância para ato de artistas por diretas

Resultado de imagem para ato promovido por artistas domingo

PT, PSOL, Central Única dos Trabalhadores (CUT), frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo divulgaram em suas redes sociais convocações para que seus militantes participem do ato promovido por artistas e produtores culturais neste domingo, 4, no Largo da Batata, em São Paulo, pela saída do presidente Michel Temer e realização de eleições diretas.

Ao contrário de atos anteriores, partidos políticos, sindicatos e outros movimentos sociais não participam da organização do protesto. O modelo adotado pelos organizadores causou forte repercussão nas redes sociais e entre os diversos setores da esquerda nos últimos dois dias.

Segundo o presidente da CUT e integrante da coordenação da Frente Brasil Popular, Vagner Freitas, a escolha de um modelo sem a participação direta de partidos pode ampliar o leque de setores da sociedade na luta pelas “diretas-já”. 

Leia maisPartidos e frentes convocam militância para ato de artistas por diretas

Para Carlos Zarattini, líder do PT no Câmara, governo está ‘por um fio’

Carlos Zarattini - PT

O líder do PT na Câmara, deputado Carlos Zarattini (PT-SP), avalia que a prisão do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), amigo do presidente Michel Temer, deixa o governo “por um fio”. “Qualquer coisa que Loures fale (aos investigadores) vai levar à queda do governo”, declarou Zarattini.

Ele considera que a possibilidade de desembarque do PSDB da base aliada do governo mostra que “as chances do governo continuar estão cada vez menores”.

Zarattini disse ainda que o PT vai continuar a mobilização por eleições diretas caso Temer deixe o cargo. “Acredito que acelerando a crise, vai acelerar a mobilização popular”, declarou. Ele admitiu, contudo, que sem a pressão popular será muito difícil aprovar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) no Congresso. “Não temos votos suficientes e a tendência natural é tentar uma solução pela via indireta. Tem que ter pressão para que parte grande dos parlamentares mudem de opinião.”

PT comemora prisão de Rocha Loures e avalia que Temer não resistirá

Resultado de imagem para humberto costa

“As provas são robustas e, se Temer conseguir escapar esta semana, vai ser um milagre”, afirmou o senador Humberto Costa

A prisão do deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi comemorada no 6.º Congresso do PT, que termina neste sábado, em Brasília. Na avaliação dos petistas, a base aliada do governo vai “ruir” com a provável saída do PSDB da equipe e a crise política tende a se agravar a partir de agora, dando fôlego à campanha por Diretas Já para substituir o presidente Michel Temer.

Até esta sexta-feira, 2, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a cúpula do PT achavam que Temer poderia ganhar uma sobrevida porque estava sendo mais  rápido na reação às denúncias contra ele do que a oposição no ataque para derrubá-lo. Mesmo Lula sendo réu na Lava Jato, o diagnóstico no PT agora é o de que o cenário piorou muito mais para Temer e a oposição pode tirar dividendos políticos da nova turbulência no Planalto.

“O governo acabou”, disse o líder do PT na Câmara, Carlos Zarattini (SP). “Até alguns dias atrás, o Planalto ficava contando voto para aprovar a reforma da Previdência e agora terá de contar voto para  impedir o impeachment.”

Leia maisPT comemora prisão de Rocha Loures e avalia que Temer não resistirá

%d blogueiros gostam disto: