Covid-19: tratamento com anticoagulantes no Sírio traz bons resultados

Com alta demanda, Hospital Sírio-Libanês limita testes para ...

Um estudo feito por pesquisadores do Hospital Sírio-Libanês apresenta bons resultados preliminares no uso do anticoagulante heparina, usado em ambiente hospitalar, para pacientes diagnosticados com a covid-19 —doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Conforme aponta o pre-print (a pré-publicação da pesquisa que ainda não foi publicada em periódico científico com revisão por pares) da análise feita com 30 pacientes, a comunidade científica ainda não tem certeza da razão pela qual indivíduos infectados com o novo coronavírus tem maior chance de apresentarem coágulos no sangue.

Ana Maria Braga revela que está curada do câncer

Ana Maria Braga revela, em jogo, que já nadou pelada e ficou com ...

Ana Maria Braga está curada do câncer. A própria apresentadora deu a notícia na manhã desta sexta-feira (25) durante conversa com Fátima Bernardes no programa Encontro.

Ana Maria revelou que foi aplaudida pela equipe médica após o resultado dos exames mostrar que as células cancerígenas tinham desaparecido do organismo dela.

“Comparando meu exame, da primeira vez que fiz pra ontem, sumiu tudo! O doutor me disse o seguinte: ‘Vou te contratar para a oncologia, para você ficar falando com as pessoas e contando como faz para ter uma boa energia, para acreditar”, contou Ana Maria.

Bem-humorado como sempre, Louro José completou: “Eu daria um aviso para as células cancerígenas: desistam, este corpo não lhes pertencer [risos]”.

Fátima vibrou junto com a colega, a aplaudiu e disse se sentir honrada em poder receber a notícia em primeira mão.

Ana Maria ainda aproveitou para alertar as pessoas e reforçar a importância de fazer o diagnóstico precoce da doença. “Preste atenção no seu corpo, não deixe passar isso. Num sistema de saúde como o nosso é muito complicado conseguir marcar exames, mas não desistam.

Fãs e internautas também comemoraram a recuperação da apresentadora que ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. “Guerreira e vencedora, essa é Ana Maria Braga! O Brasil comemora com você mais uma vitória”, escreveu um fã. “Muito feliz e emocionada, até que enfim uma notícia boa em meio a essa pandemia”, comentou uma seguidora. “A mulher já conseguiu se curar de três cânceres. Os anticorpos dessa mulher deveriam ser estudados”, brincou outra.

Leia maisAna Maria Braga revela que está curada do câncer

Com saída de Moro, dólar dispara e ultrapassa R$ 5,70; Bolsa cai

Dólar sobe e fecha semana a R$ 4,094; Bolsa cai pela 6ª vez seguida

Com a saída do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, do governo, a Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, abriu em queda nesta sexta e, às 12h10, se encontrava em recuo de 8,61%, aos 72 mil pontos, menor valor do dia.  Já o dólar iniciou as negociações desta sexta, em alta de quase 1%, e, às 11h15, atingiu R$ 5,71, mais novo recorde nominal da moeda americana, quando não se desconta a inflação.

Nesta sexta, a exoneração do diretor-geral da Polícia FederalMaurício Valeixo, foi oficializada via decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU)  e assinado pelo presidente Jair BolsonaroMoro afirmou, em coletiva, nesta sexta, que não assinou o decreto. Na quinta-feira, 23, ao ser comunicado por Bolsonaro sobre a decisão, Moro ameaçou deixar o governo, alegando que não poderia aceitar mudanças na chefia da instituição. A decisão de Bolsonaro ocorre uma semana depois da demissão de Luis Henrique Mandetta como ministro da Saúde.

O câmbio se mantém próximo do patamar de R$ 5,70. Somente em 2020, em meio a todo o caos econômico provocado pela pandemia do novo coronavírus, causador da covid-19, e, em alguns momentos, por fatores de instabilidade política no País, a moeda americana já se valorizou quase 40%. Para se ter uma ideia, no início de janeiro, o câmbio estava próximo de R$ 4. No começo da semana, a cotação estava em R$ 5,28.

Leia maisCom saída de Moro, dólar dispara e ultrapassa R$ 5,70; Bolsa cai

Moro anuncia demissão e acusa Bolsonaro de interferir na PF para ter acesso a informações sigilosas

Ibovespa varia após fake news sobre demissão de Moro, e volta para ...

Ao anunciar a saída do cargo, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, acusou nesta sexta-feira (24) o presidente Jair Bolsonaro de tentar interferir politicamente no comando da Polícia Federal para obter acesso a informações sigilosas e relatórios de inteligência. “O presidente me quer fora do cargo”, disse Moro, ao deixar claro que a saída foi motivada por decisão de Bolsonaro.

“O presidente me disse que queria ter uma pessoa do contato pessoal dele, que ele pudesse colher informações, relatórios de inteligência, seja diretor, superintendente, e realmente não é o papel da Polícia Federal prestar esse tipo de informação. As investigações têm de ser preservadas. Imagina se na Lava Jato, um ministro ou então a presidente Dilma ou o ex-presidente (Lula) ficassem ligando pro superintendente em Curitiba para colher informações”, disse Moro, ao comentar as pressões de Bolsonaro para a troca no comando da PF.

“A interferência política pode levar a relações impróprias entre o diretor da PF e o presidente da República. Não posso concordar. Não tenho como continuar sem condições de trabalho e sem preservar autonomia da PF. O presidente me quer fora do cargo”, acrescentou o ministro.

De acordo com Moro, o presidente relatou em conversas preocupação com o andamento de inquéritos que tramitam no Supremo Tribunal Federal (STF). Um deles foi aberto no ano passado para apurar ameaças, ofensas e fake news disparadas contra integrantes da Corte e seus familiares.

Leia maisMoro anuncia demissão e acusa Bolsonaro de interferir na PF para ter acesso a informações sigilosas

STF: Marco Aurélio vota para manter MP que combate efeitos da pandemia

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio reafirmou hoje (23) posição contra a suspensão de dispositivos da Medida Provisória (MP) 927/2020, editada pelo presidente Jair Bolsonaro em meio à situação de calamidade pública provocada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

O voto do ministro foi proferido na sessão em que o Supremo começou a decidir se vai referendar a decisão individual do ministro, proferida no mês passado, que rejeitou sete ações de partidos de oposição contra a parte da medida que trata de questões de trabalhistas.

Após o voto do ministro, o julgamento foi suspenso e será retomado na quarta-feira (29). Mais dez ministros devem votar.

No entendimento de Marco Aurélio, a MP atendeu aos princípios constitucionais de relevância e da urgência e ainda será analisa pelo Congresso Nacional. Dessa forma, não cabe interferência do Supremo para analisar o conteúdo da medida, segundo o ministro.

“A medida provisória visou, acima de tudo, atender a uma situação emergencial, visou preservar empregos, preservar a fonte do sustento dos trabalhadores”, disse.

Entre os dispositivos previstos na medida provisória estão a possibilidade de adiamento do recolhimento do FGTS e suspensão temporária de medidas administrativas de segurança e saúde do trabalho.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: