Fux cita atraso do TSE e ataque ao STJ para cobrar aprimoramento em segurança do Judiciário

Após pane no TSE e no STJ, Fux diz que Justiça precisa aprimorar tecnologia  - 18/11/2020 - UOL Notícias

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, afirmou nesta quarta-feira (18) que o Judiciário precisa de aprimoramento na área de tecnologia.

A declaração foi dada na abertura da primeira reunião do Comitê de Segurança Cibernética do Poder Judiciário. O ministro disse que fez questão de participar do encontro para “dar uma satisfação à sociedade” devido ao atraso na divulgação do resultado das eleições e ao ataque hacker ao sistema do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

“Como o comitê é de importância ímpar, fiz questão de pedir à vice-presidente do Supremo que iniciasse os trabalhos lá para dar satisfação à sociedade que, diante de todos incidentes que ocorreram, estamos aqui tentando nos nos aperfeiçoar”, afirmou.

Fux observou que “os avanços têm seus preços” e que é necessário um aperfeiçoamento do Judiciário na área tecnológica.

Leia maisFux cita atraso do TSE e ataque ao STJ para cobrar aprimoramento em segurança do Judiciário

Mossoró: MPRN cumpre mandado de busca e apreensão em operação contra facção criminosa

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) cumpriu nesta quarta-feira (18) mandado de busca e apreensão contra uma advogada suspeita de colaborar com uma facção criminosa paulista que atua de dentro de unidades prisionais espalhadas por todo o país. O cumprimento do mandado faz parte da operação Fast Track, deflagrada pelo MP de São Paulo simultaneamente nas cidades de Mossoró, Brasília, Porto Velho e São Paulo.

Em Mossoró, o MPRN, através do Gaeco do Oeste, com apoio de policiais penais do DEPEN-MJSP, cumpriu mandado na casa e no escritório de uma advogada. Ela está foragida da Justiça.
A ação visa desarticular a célula jurídica da organização criminosa. No dia 13 de fevereiro de 2019, a cúpula da organização criminosa foi transferida para unidades do sistema penitenciário federal e distribuída majoritariamente entre as penitenciárias de Porto Velho (RO), Brasília (DF) e Mossoró (RN). A transferência tinha como objetivo central impedir que os chefes da facção continuassem a transmitir ordens de dentro dos presídios.
Segundo as investigações do MPSP, com o propósito contornar a incomunicabilidade decorrente da remoção, um integrante da facção recebeu poderes dos chefes do grupo para assumir o comando nacional da célula batizada como “Setor do Universo”.
Com o emprego de recursos oriundos de crimes perpetrados pela facção, notadamente o tráfico de drogas, esse criminoso contratou advogados com atuação em diversas regiões do território nacional, com a finalidade precípua de permitir que os chefes da facção, presos, continuassem a se comunicar com integrantes da organização em liberdade. Por meio de atendimentos presenciais, os advogados contratados levavam informações aos líderes e recebiam ordens que deveriam ser transmitidas a outros criminosos.
MPSP

REVIRAVOLTA EM ASSU: Apostas feitas na cidade terão que esperar se for comprovado fraude nas eleições

O burburinho na terra dos poetas é grande, já que temos informações de que as apostas feitas durante a campanha terão que aguardar, pois o jogo não acabou, por existir fortes indícios de uma possível fraude na eleição, e caso se concretize, haverá novas eleições na cidade do Assú.

Não é segredo pra ninguém, que como não houve a exigência da biometria, quem queria ganhar a todo custo, pode ter utilizado métodos ilegais para conseguir o resultado que queria.

Agora é aguardar o desfecho dessa questão e que a justiça seja feita.

OLIGARQUIA EM ROTA DE EXTINÇÃO: Assú mostra que mais de 50% dos votos não se rende aos Soares

Mesmo que a oposição na cidade do Assú não tenha obtido êxito, foi uma campanha histórica e importante, porque entre os votos de Ivan Júnior, Luis e Brancos/nulos, foram um total de 18.894 votos de pessoas que reprovam a forma de gestão perseguidora da Oligarquia Soares, contra 16.823 que aprovam.

Assú conseguiu enfraquecer a oligarquia Soares e por um triz eles não foram escorraçados da cidade, que está cansada das promessas não cumpridas e essa política de pão e circo que eles fazem, promovendo gastança de dinheiro público a fornecedores que devem favor. Enquanto isso, pessoas moram em casas de taipa e passam fome, e chegam até morrer em corredores de hospitais na capital ou morrem até no caminho, pelo fato Assú não ter um hospital completo.

O mais bonito de se ver é que a cidade lutou por Ivan, vestiu a camisa, saiu as ruas, e garantiu a ele 16.818 votos, e que ele combateu com garra contra a estrutura da Prefeitura e Governo do Estado a favor de Gustavo.

Deve ser pela diferença tão pequena que Gustavo mostrou tanto ódio por Ivan, porque você ganhar com estrutura de PMA e Estado tão apertado, mostra que seu povo está seguindo o caminho da mudança, e essa oligarquia opressora está com os dias contados.

A análise dessa campanha, deve ser que as pessoas estão optando por se ver livre dessa oligarquia dominadora, e que ainda não foi extinta porque se utiliza da forma mais imoral possível de toda a estrutura da Prefeitura do Assú e Governo do Estado para se perpetuar no poder. Mas isso leva tempo, e os resultados das urnas, mostram que está para surgir uma onda de mudança jamais vista na cidade. É só aguardar.

ASSÚ: Paulinho do Acredito mostra garra ao obter 1.076 votos

O jovem Paulinho do Acredito, que conseguiu obter 1.076 votos na cidade do Assú, só que devido as regras eleitorais, não conseguiu se eleger por não ter no total de votos do partido a cota exigida, mas mostrou sua força e garra.

O nutricionista foi um dos candidatos mais votados e provou que existem 1.076 votos de pessoas que sonham com a mudança na forma de fazer política na Câmara, sem vender o voto e decidindo dar vez e voz a quem tem atitude e posicionamento.

Paulinho foi um dos defensores dos projetos e ideias do ex prefeito Ivan Júnior, e conseguiu dentro do grupo da oposição, um lugar de destaque, tendo vez e voz ao lado de Ivan, e sendo o único candidato na cidade que contou em massa com a juventude.

O jovem que alcançou o ápice da sua trajetória, incentivando o protesto na câmara contra o aumento dos salários dos vereadores, agora tem um novo desafio, manter acesa a chama nos próximos quatro anos, e mesmo sem mandato, continuar a defender a cidade do Assú, porque o ausente prefeito Gustavo vai iniciar um verdadeiro massacre na cidade, contra quem não votou nele.

Após queda de falésia no RN, governo federal envia técnicos para a praia de Pipa

Parte de falésia desaba em Pipa, no Rio Grande do Norte

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, afirmou nesta quarta-feira (18) que enviou dois técnicos ao estado do Rio Grande do Norte para avaliar a situação das falésias na praia de Pipa.

Na terça-feira (17), por volta das 11h50, a queda de parte de uma falésia deixou três mortos na Praia de Pipa, em Tibau do Sul: o paulista de Jundiaí Hugo Mendes Pereira, a potiguar Stela Souza e o filho deles de sete meses, Sol.

“Enviei dois técnicos da Defesa Civil, uma engenheira e um geólogo, para avaliarem os riscos e as medidas de prevenção necessárias na praia de Pipa, no RN”, escreveu Marinho, em sua conta no Twitter.Parte de falésia desaba em Pipa, no Rio Grande do Norte

Parte de falésia desaba em Pipa, no Rio Grande do Norte

Foto: Reprodução / Redes sociais

“Lamentamos a tragédia que tirou a vida de 3 pessoas e queremos evitar novos acidentes”, completou.

As Defesas Civis do estado e de Tibau do Sul, cidade que abriga a praia, ainda vão inspecionar a partir desta quarta (18) o que causou o desmoronamento.

CNN Brasil

O Brasil ainda tem problemas profundos com a corrupção sistêmica, diz Obama

Dez dias depois de Joe Biden ver seu nome confirmado como o próximo presidente dos EUA, é a vez de seu ex-chefe, Barack Obama, roubar a cena. Nesta terça (17), dia do lançamento mundial de “Uma Terra Prometida” (Companhia das Letras), detalhes do primeiro volume de suas memórias na Casa Branca tomaram o mundo.

A Folha enviou nove blocos de perguntas (com 12 questões no total) por escrito ao democrata no dia 5 de novembro. Ele se comprometeu a responder ao menos cinco delas e pediu que todas fossem ancoradas no livro, condições aceitas pelo jornal.

Na segunda (16) à noite, chegaram suas respostas.

O sr. escreve na apresentação de seu livro que a democracia em seu país parece estar à beira do precipício —uma crise enraizada no embate entre duas visões opostas do que são os EUA e do que deveriam ser. O sr. acha que, pelos acontecimentos de hoje [5/11], com a vitória de seu ex-vice-presidente, o precipício fica mais longe? Você tem razão: a divisão entre o que a América é e o que a América deveria ser é um tema importante no livro, mas também existe outro conjunto concorrente de visões para nosso país. Há uma visão mais inclusiva e uma visão mais tribal. As duas interagem constantemente, e assistimos a essa interação acontecendo não apenas nos últimos quatro anos, nem nos oito anos que os antecederam, mas ao longo de nossa história. A pergunta permanece: quem vai vencer essa disputa de ideias?

Tenho fé em que a visão generosa e acolhedora do nosso país sairá por cima. E conservei meu otimismo, mesmo ao longo dos últimos quatro anos. Porque, ao mesmo tempo em que vimos nossos piores impulsos revelados, também testemunhamos o que podemos ser quando mostramos nosso lado melhor, quando americanos saíram às ruas em número sem precedente para protestar contra a separação de famílias, a violência armada, a brutalidade policial e mais.

É isso que me dá esperança especial em relação à próxima geração. Sua convicção do valor igual de todas as pessoas é inata, natural. Para Malia, Sasha [suas filhas de 22 e 19 anos, respectivamente], e seus amigos, nossas diferenças são algo a ser festejado. Para eles, isso é evidente.

Este livro é sobretudo para esses jovens. É um convite para mais uma vez reformarem o mundo e, com trabalho árduo, determinação e uma grande dose de imaginação, criarem uma América que finalmente se alinhe com o que existe de melhor dentro de nós.

O sr. descreve com detalhes o processo que o levou a escolher Joe Biden para ser seu vice-presidente. Dezenove anos mais velho que o sr., não parecia um candidato natural a concorrer a sua sucessão em 2016, tanto que não foi —Hillary Clinton foi a escolhida. O sr. antevia então, no momento de sua escolha para vice, que ele um dia viria a ser presidente dos EUA? Admito: quando comecei minha busca por um vice-presidente, eu não fazia ideia que acabaria por encontrar um irmão. Joe e eu não temos muito em comum, à primeira vista. Temos origens diferentes, somos de gerações distintas. Mas em muito pouco tempo comecei a admirar sua resiliência, sua empatia e seu engajamento em tratar cada pessoa que ele encontra com respeito e dignidade. Joe vive segundo o preceito que seus pais lhe ensinaram: “Ninguém é melhor que você, Joe, mas você não é melhor que ninguém”.

Essa empatia, essa honradez, a crença de que todos têm valor —isso é quem Joe é. E foi por isso que durante oito anos eu quis que ele fosse o último na sala comigo sempre que eu precisava tomar uma decisão importante.

Ele me fez um presidente melhor. E sei que ele nos tornará um país melhor.

Leia maisO Brasil ainda tem problemas profundos com a corrupção sistêmica, diz Obama

Eleições Municipais dominam discursos das lideranças na Assembleia do RN

O resultado das Eleições Municipais dominou a pauta de pronunciamentos no horário das lideranças da sessão realizada na Assembleia Legislativa do RN nesta terça-feira (17). Os deputados Hermano Morais (PSB), George Soares (PL), Tomba Farias (PSDB) e Ubaldo Fernandes (PL) avaliaram o pleito e destacaram o desempenho dos candidatos em algumas cidades. O baixo índice de abstenção no Rio Grande do Norte no dia da votação também foi destacado – o estado teve o quarto menor índice do país, segundo dados oficias do TSE.

O deputado estadual Hermano Morais, que concorreu a uma vaga para a prefeitura de Natal, foi o primeiro a falar. “Não tivemos o êxito, mas temos a consciência tranquila do dever cumprido. Nos apresentamos com propostas respeitosas buscando o melhor para a cidade. Aceitamos o resultado das urnas. Democracia é isso. Às vezes vencemos, às vezes perdemos. Mas não podemos perder a capacidade de luta. Feio não é perder. Feio é não ter coragem de lutar e estamos com ânimo renovado para seguir na luta pelos interesses da população, principalmente dos mais humildes”, disse.

Hermano ainda parabenizou os candidatos eleitos, “começando pelo da Casa, deputado Allyson Bezerra (SDD), com vitória brilhante em Mossoró”. O parlamentar elencou a eleição do prefeito Hélio de Mundinho (MDB) em Guamaré, de Gilson Dantas (MDB) em Carnaúbas dos Dantas, Júnior Marques em Bento Fernandes, Carlinhos (DEM) em Jardim de Angicos e Emídio Jr em Macaíba, “e tantos outros companheiros do PSB, como Ivaldo bacurau e Eribaldo Medeiros”. Por fim, pediu aos eleitos, atenção para a educação. “Educação é a base de tudo”.

O segundo parlamentar a usar o horário das lideranças, foi George Soares (PL). Após parabenizar os deputados Hermano Morais e Coronel Azevedo (PSC), destacou o baixo índice de abstenções do país e lamentou a derrota de colegas que não obtiveram êxito no pleito municipal. “Eleição é isso e com certeza estaremos mais próximos, esse é um papel do deputado”, disse.

Leia maisEleições Municipais dominam discursos das lideranças na Assembleia do RN

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: