As comissões de Desenvolvimento Urbano; e de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados ouvem, nesta terça-feira (8), o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Ele deve explicar os critérios usados para concessão de benefícios fiscais e as denúncias sobre uso de emendas parlamentares para garantir apoio ao governo.

O deputado Rogério Correia (PT-MG), que pediu a vinda do ministro, afirma que a política de isenções fiscais é um instrumento importante para estimular o desenvolvimento regional e a criação de emprego, mas deve ser transparente e consistente com os objetivos a serem alcançados.

“A política de concessão de benefícios fiscais fica extremamente maculada quando está associada à desconfiança de que tenha resultado em ganhos indevidos para servidores públicos e mesmo para terceiros que eventualmente tenham usado de tráfico de influência para conseguir ou mesmo viabilizar o benefício.”

Correia cita reportagens publicadas em diversos veículos de comunicação segundo as quais representantes da empresa Gramazini Granitos e Mármores Thomazini teriam se encontrado com Marinho, em reunião intermediada pelo filho do presidente da República, Jair Renan Bolsonaro. Ainda segundo as reportagens, Renan Bolsonaro teria recebido em troca um carro elétrico no valor de R$ 90 mil.

O deputado critica a intermediação de parentes de autoridades superiores da Administração Pública para viabilizar reuniões com agentes públicos. “[Isso] é prática condenável!”

Leia maisRogério Marinho explica denúncias sobre orçamento