fbpx

Nelter Queiroz cobra realização de perícias médicas no INSS Jucurutu

Nesta quarta-feira (14), durante sessão plenária da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN), o deputado estadual Nelter Queiroz (MDB) encaminhou expediente à Gerência Executiva do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Regional de Mossoró e para a Agência de Previdência Social (APS) de Jucurutu solicitando a realização de perícias médicas na própria APS de Jucurutu.

“Pleito de grande importância demandado ao nosso mandato através de requerimento de autoria do vereador jucurutuense Rubens Batista e subscrito pelos vereadores Paula Torres, Nego do Povo, Jubira Saldanha, Francinildo Aquino, José Pedro, Rômulo Ivo, Francinilson Batista e Romualdo Cosme”, esclareceu Nelter.

De acordo com o parlamentar, a demanda em questão se faz urgente uma vez que a população usuária dos serviços oferecidos pela APS Jucurutu tem que se deslocar a outros municípios das regiões Seridó, Vale do Assú e até da Paraíba para a realização destas perícias.

“Essa situação prejudica e muito a população usuária deste serviço que não é oferecido pelo INSS em Jucurutu, situação pode ser revista uma vez que a APS Jucurutu oferece estrutura física adequada para a viabilização desta demanda”, frisou Queiroz, reforçando que seu mandato cobra sensibilidade da Gerência Regional do INSS, em Mossoró, para viabilização deste pleito.

INSEGURANÇA

Ao final de sua participação, na sessão plenária da ALRN, o deputado se solidarizou com a população caicoense que, recorrentemente, está sendo vítima da ação de marginais. Na oportunidade, Nelter deu enfoque para um arrastão realizado na noite desta terça-feira (13), durante aniversário realizado na residência de seu Valmir e dona Maria Julieta, no bairro Samanaú.

“Os bandidos levaram aparelhos celulares, joias e outros objetos pessoais das pessoas que estavam nas comemorações”, lembrou Nelter.

Deputados estaduais aprovam criação de microrregiões de águas e esgotos no RN

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte aprovou durante sessão plenária desta quarta-feira (14) o Projeto de Lei Complementar 09/2021, de autoria do Governo do Estado, que institui as microrregiões de águas e esgotos da Central-Oeste e do Litoral-Seridó e suas respectivas estruturas de governança, no âmbito do RN. A matéria foi aprovada por unanimidade.

“Este projeto é fruto do consenso e do acordo feito entre a Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) e Governo do Estado com a colaboração da Assembleia Legislativa. Esta Casa tem se pautado na conduta pelo diálogo e, por isso, aceitamos retirar de pauta a proposta com o compromisso de só colocar em votação quando houvesse entendimento, como agora. Ganha o RN e os municípios potiguares”, disse o presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira (PSDB).

O líder do Governo na Assembleia, deputado estadual Francisco do PT, ressaltou que o Governo chegou a entendimento com a Femurn e que solicitou a retirada de uma emenda inserida na matéria durante tramitação na Comissão de Constituição e Justiça. Além disso, chegou-se ao consenso para aprovação de outras duas emendas apresentadas em plenário pelo relator do projeto, deputado Hermano Morais (PSB).

Em seu pronunciamento, o deputado Kelps Lima (SDD) enfatizou que a emenda rejeitada permitia não apenas a privatização da Caern como chegou a ser mais ampla. Segundo o parlamentar, previa a criação de cargos e isenção de taxas, itens que foram rejeitados ainda pelo relator.

Além da retirada deste item que os deputados de oposição consideraram uma permissão para a privatização da Caern, as emendas alteraram a composição dos colegiados criados – que agora terão seus votos divididos em 65% para municípios e 35% para Estados – e a questão da mudança de outorga, permitindo aos municípios também a participação nos lucros prestados pelos serviços

O relator da matéria destacou que a proposta precisava ser votada em respeito ao novo marco legal, que obriga todos os estados do país a dividir suas microrregiões. “Realizamos audiências públicas, recebemos sugestões de emendas e chegamos a este entendimento. Importante parabenizar o presidente Ezequiel Ferreira por dar tempo para Governo e Femurn chegar a acordo”, disse.

Para Gustavo Carvalho (PSDB), o projeto discutido na Assembleia representava “o início da privatização da Caern”. O deputado Coronel Azevedo (PSC) citou que a governadora Fátima Bezerra (PT) tinha posição contrária a pauta durante a campanha eleitoral. A líder do PT na Casa, deputada estadual Isolda Dantas, chegou a chamar de “fake News” a notícia de que o texto em análise anteriormente permitiria a privatização da Caern. Também se pronunciaram sobre a matéria os deputados Nelter Queiroz (MDB), José Dias (PSDB), Tomba Farias (PSDB) e George Soares (PL).

Leia maisDeputados estaduais aprovam criação de microrregiões de águas e esgotos no RN

Médico de Bolsonaro avalia necessidade de cirurgia por obstrução intestinal

Antônio Macedo, médico particular do presidente Jair Bolsonaro, poderá indicar intervenção cirúrgica caso se confirme obstrução intestinal do presidente. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo nesta 4ª feira (14.jul.2021).

Bolsonaro deu entrada no HFA (Hospital das Forças Armadas) para investigar a origem de uma crise de soluços. O presidente está com dificuldade para falar há 12 dias por causa do problema.

Macedo é o mesmo médico que operou Bolsonaro após a facada que recebeu em setembro de 2018, durante a campanha eleitoral. Também realizou outros procedimentos em Bolsonaro desde que ele assumiu a presidência.

Além dos soluços, o presidente também tem refluxo gastroesofágico. Essa condição consiste no retorno involuntário e repetitivo do conteúdo do estômago para o esôfago. Entre os sintomas estão azia e dor torácica.

Leia maisMédico de Bolsonaro avalia necessidade de cirurgia por obstrução intestinal

Governo retira de projeto “emenda da privatização” da Caern, diz deputado

O deputado estadual Kelps Lima (SDD) anunciou que o Governo do RN retirou o que ele chama de “emenda da privatização” da Caern para o projeto de lei complementar que institui as microrregiões de águas e esgotos do Central-Oeste e do Litoral-Seridó poder ser votado. O projeto tem como parâmetro a Lei Federal nº 14.026/2020, que instituiu o Novo Marco Legal do Saneamento Básico.

Ainda segundo ele, o governo cedeu a algumas reivindicações dos municípios. Na manhã desta quarta-feira (14) o deputado afirmou ter descoberto novidades sobre a emenda pela qual, segundo ele, a “governadora queria privatizar serviços da CAERN”. O governo nega que a emenda tenha o objetivo de privatizar.

“A emenda também previa criação de cargos comissionados de chefia, isso mesmo, MAIS CARGOS. Além de isenção de custas judiciais, extrajudiciais, taxas, emolumentos bem como serviços notariais e de registro delegados. Essa parte só não entrou na emenda da privatização da CAERN, por causa do relator, que não aceitou isso tudo, escreveu o parlamentar nas redes sociais.

O deputado afirma que não é contra a privatização da empresa, mas o governo, que se diz contrário, tenta incutir uma brecha para privatizar serviços da empresa no projeto.

Kelps estranhou ainda o fato de a emenda e sua justificativa estarem anexadas dentro do projeto, sem assinatura de ninguém.

Confira abaixo o trecho referido pelo parlamentar:

 

Fonte: Portal Grande Ponto

Getúlio Rêgo destaca o cumprimento das emendas parlamentares no Estado

O deputado estadual Getúlio Rêgo (DEM) aproveitou o pronunciamento que fez no plenário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, nesta quarta-feira (14), para fazer um apelo para que o Poder Legislativo monitore o acompanhamento a liberação das Emendas Parlamentares pelo Poder Executivo. Ele pediu para que, daqui para frente, haja um pacto com o Governo do Estado, por intermédio do líder do governo na Casa Legislativa, para que sejam cumpridas as emendas.

“É lamentável que tenhamos sempre que mendigar na busca da obediência de um ditame constitucional. Eu fui à Secretaria para tratar de emendas para serem liberadas em dezembro e não foram até o momento”, falou.

Getúlio Rêgo destacou que nenhuma emenda parlamentar é de interesse pessoal, tudo é feito às claras, para setores estratégicos do RN e isso não está sendo cumprido.

Gustavo Carvalho fala sobre situação de precariedade das escolas estaduais

O deputado estadual Gustavo Carvalho (PSDB) usou o tempo de fala no plenário da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, nesta quarta-feira (14), para informar sobre a precariedade de escolas estaduais e pedir para que o Governo do Estado dê mais atenção na resolução dos problemas dessas escolas.

O parlamentar contou que, nesta quarta-feira, pela manhã, um jornal local trouxe uma matéria mostrando o estado da Escola Estadual Nestor Lima, localizada em Natal. “As aulas vão recomeçar, o teto da escola ruiu e o local está sem energia. Me deu dó de ver a diretora constrangida contando à repórter da indignação dela porque o Departamento de Engenharia da Secretaria de Educação estadual já tinha ido na escola quatro vezes, sendo a última vez em março. E, na visita, eles diziam que na outra semana iniciavam os serviços de recuperação da escola”, relatou.

Gustavo Carvalho afirmou ainda que a empresa contratada chegou a visitar a escola. “Houve contratação e até hoje essa construtora não voltou mais ao local. É impossível a escola poder funcionar na volta das aulas presenciais. No meu gabinete, recebo diariamente reclamações de escolas que estão na mesma situação da Escola Nestor Lima”, disse.

O deputado destacou, por fim, que o Rio Grande do Norte saiu como um dos 4 estados da federação com o pior índice educacional do Brasil.

A música como recurso para a saúde e o bem-estar

Nada como uma música para acalmar a cabeça e desviar os pensamentos ruins. Faz tempo, a gente sabe, que as obras musicais fazem bem ao espírito, tanto que temos uma expressão para confirmar isso. Como disse o musicista e pesquisador da UFRN Fábio Presgrave, a música “não só nos traz a paz, mas tem impacto em nossa saúde e em nosso bem-estar”. Essa é uma frase bastante usada também pela violoncelista, professora e pesquisadora na Centre for Performance Science da Royal College of Music, em Londres, Tania Lisboa, que na próxima sexta-feira, 16, vai ministrar a Aula Magna do semestre letivo de 2021.1 da UFRN, na qual discutirá A saúde e o bem-estar humano através da ciência da música.

Na aula, ela vai falar sobre como a música tem desdobramentos confirmados por pesquisas científicas na saúde. Aqui mesmo na UFRN, são muitos os estudos que tratam desse tema em diversas áreas. Em dissertação do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFRN, Rafaela Leite Fernandes lembra que a relação entre música e saúde tem registros de milhares de anos atrás, desde a mitologia grega. Ela explica que a música “atinge diferentes formas e pode estimular as emoções e memórias, auxiliando na manutenção e restabelecimento do equilíbrio interno”.

Em seu trabalho, realizado num Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Natal, a pesquisadora observa que a “música, diante de sua expressão artística e cultural, embala o cotidiano da vida afetiva, social e profissional das pessoas, o que favorece sua saúde mental, ajuda a prevenir o estresse e promove o alívio do cansaço físico”.

Uma das referências usadas em diversos trabalhos científicos é o psiquiatra, músico e compositor argentino Rolando Omar Benenzon, que há muito desenvolve pesquisas com musicoterapia. Segundo Rafaela, esse autor refere-se à musicoterapia como um campo da medicina. “Através do movimento, da música e do som, procura abrir canais de comunicação no ser humano, produzindo, assim, os resultados terapêuticos desejados, bem como efeitos profiláticos e de reabilitação do indivíduo e de sua vida em sociedade”, diz em seu trabalho.

Em artigo científico apresentado à Faculdade de Ciências da Saúde do Trairi (Facisa/UFRN) para obtenção do título de graduação em Enfermagem, Joycimara da Silva Sales de Medeiros assegura que a música faz parte de uma terapia com métodos não farmacológicos, não invasivos, de baixo custo e sem efeitos colaterais. Além disso, afirma que ajuda a fortalecer laços entre paciente e profissional, além de deixar o ambiente mais confortável, estabelecendo uma relação mútua de confiança entre eles.

Seu trabalho, que observou a música como recurso terapêutico em um grupo de convivência para idosos da cidade de Santa Cruz, No Trairi potiguar, constatou que esse recurso ajuda a baixar o nível de estresse e a reduzir os marcadores neuro-hormonais desse grupo específico. Ela constatou ainda que a música ajuda na liberação de hormônios, como a adrenalina, com a finalidade de relaxamento e bem-estar dos músculos do corpo.

Leia maisA música como recurso para a saúde e o bem-estar

Medalhas das Olimpíadas de Tóquio foram feitas com partes de celulares e computadores reciclados

Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio terão 100% de suas medalhas fabricadas com metais reaproveitados do lixo eletrônico.

Dispositivos como celulares e computadores foram desmontados no Japão reutilizar ouro, prata e bronze, presentes em componentes como as placas de circuito.

Smartphones e PCs possuem pequenas quantidades dos metais utilizados nas medalhas em suas placas-mães, que são a base para conectar outros itens, por exemplo.

Para conseguir fazer aproximadamente 5.000 medalhas para os Jogos, a organização do evento precisou recolher uma quantidade enorme de lixo eletrônico.

Medalhas das Olimpíadas de Tóquio de frente — Foto: Divulgação/Tokyo 2020

Medalhas das Olimpíadas de Tóquio de frente — Foto: Divulgação/Tokyo 2020

Foram mais de 6 milhões de telefones celulares usados e mais de 78 toneladas de computadores, tablets, monitores e outros aparelhos antigos ou quebrados.

Isso porque a quantidade de metal presente em um único aparelho é muito pequena, como explica Tereza Cristina Carvalho, membro do Instituto dos Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) e pesquisadora da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

“É uma quantidade muito pequena de ouro e de cobre [nos aparelhos]. Esse volume vem diminuindo gradativamente com o avanço da tecnologia porque os metais são recursos não renováveis. Então, as empresas vêm desenvolvendo tecnologia para fazer as conexões com a quantidade cada vez menor deles”, disse ao G1.

 

Celulares antigos coletados pela organização dos Jogos de Tóquio 2020 — Foto: Divulgação/Tokyo 2020

Celulares antigos coletados pela organização dos Jogos de Tóquio 2020 — Foto: Divulgação/Tokyo 2020

As medalhas pesam praticamente meio quilo, mas a composição de cada uma varia:

  • as de ouro são feitas com 550 gramas de prata reciclada coberta por 6 gramas de ouro, também reciclado;
  • as de prata são produzidas 550 gramas do próprio material;
  • as de bronze possuem 450 gramas de bronze vermelho.

Leia maisMedalhas das Olimpíadas de Tóquio foram feitas com partes de celulares e computadores reciclados

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: