Netflix fará série sobre apresentador brasileiro acusado de mandar matar por audiência

O deputado estadual Wallace Souza durante sessão em que seu mandato foi cassado, em Manaus, em 2009
O deputado estadual Wallace Souza durante sessão em que seu mandato foi cassado, em Manaus, em 2009 – Alberto César Araújo/Folhapress

A história do apresentador de televisão Wallace Souza, preso sob suspeita de encomendar mortes para exibi-las num programa policial, será tema de uma série documental a ser desenvolvida pela Netflix. As informações são do site Deadline.

A produção de “Killer Ratings” (audiência assassina) ficará a cargo das produtoras britânicas responsável por produções documentais para a Nat Geo e BBC. Não há data de estreia para a atração.

Morto em 2010, Souza foi alçado à fama como apresentador de TV do programa sensacionalista “Canal Livre”, veiculado por uma emissora de Manaus. Ele foi acusado de ser o mandante de alguns dos assassinatos exibidos na atração.

Um ano antes de morrer, enfrentando ações na Justiça por homicídio, tráfico de drogas, formação de quadrilha, entre outros crimes, ele teve o seu mandato de deputado estadual pelo Amazonas cassado.

O caso ganhou repercussão internacional depois que as investigações comprovaram que imagens das vítimas eram mostradas no programa para aumentar a audiência. Folha de São Paulo

Souza morreu em 2010, em decorrência de uma doença do fígado. Na ocasião, ele estava internado em um hospital de São Paulo sob custódia da Polícia Federal.

O ex-deputado também era acusado de encomendar um plano para matar a juíza federal do Amazonas, Jaiza Fraxe.

Ainda segundo o Deadline, os produtores de “Killer Ratings” reuniram informações exclusivas, incluindo entrevistas com pessoas ligadas à veiculação do programa “Canal Livre”, policiais e parentes de Souza.

O caso já foi objeto de outra série documental, “Pacto de Sangue”, exibida no canal Space.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!
%d blogueiros gostam disto: